CATÁSTROFE ANUNCIADA

NUVEM ÁCIDA

Tal qual os institutos de meteorologia, que antecipam a formação e/ou a chegada de tempestades e furacões, a maioria dos ministros do STF, por vontade e interesse próprios, informa que nesta 4ª feira o Brasil será atingido por uma -NUVEM ÁCIDA- carregada de IMENSA DOSE DE INJUSTIÇA.

CATÁSTROFE ANUNCIADA

Pois, da mesma forma como acontece nas regiões que estão na rota dos furacões, onde a maioria dos moradores lota as estradas na busca de um porto seguro, tudo leva a crer que a NUVEM ÁCIDA que a maioria dos ministros do STF está pronta para lançar sobre o Brasil deve levar milhões de brasileiros às ruas para protestar, veementemente, contra a anunciada CATÁSTROFE.

CAMINHONEIROS

Ainda que milhões de brasileiros estejam se manifestando nas redes sociais, condenando a postura nojenta da maioria dos ministros do STF, o que mais me chamou a atenção, ao longo do final de semana, foi a indignação manifestada por vários caminhoneiros que se dizem prontos e decididos para invadir Brasília, caso a Corte Suprema decida abrir as portas dos presídios.

CERCAR O STF E O CONGRESSO

Pelo que informam os caminhoneiros revoltados, de forma uníssona, não se trata de uma PARALISAÇÃO, como aquela que se viu em maio de 2018. Desta vez trata-se de um ANUNCIADO MOVIMENTO a ser realizado na capital federal, com a promessa de cercar o Poder Judiciário e o Congresso Nacional.

REAÇÕES

Pelas reações daqueles que tomaram conhecimento dos vídeos produzidos e compartilhados por inúmeros caminhoneiros, uma coisa me parece certa: o povo apoia o MOVIMENTO. Ou seja, a VOZ QUE FALTAVA para unir os brasileiros sedentos de JUSTIÇA já ressoa por todos os cantos do nosso empobrecido Brasil.

NOVA CORTE SUPREMA

Mais: pelo andar da carruagem, que vem sendo conduzida ao bel prazer por ministros que mais parecem advogados de bandidos, o MOVIMENTO, que promete ser barulhento, exige um foco claro: a escolha e/ou formação de uma NOVA CORTE SUPREMA.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • ESPAÇO PENSAR+

    Eis o texto do pensador Roberto Rachewsky - DIOGO MAINARDI É O NOSSO ORÁCULO DE VERDADE - :

    Foi ele o primeiro a desmascarar e expor Lula publicamente em sua coluna quinzenal na antiga Revista Veja, quando essa ainda tinha a dignidade que lhe oferecia Roberto Civita, Mario Sabino, e tantos outros, inclusive o J.R.Guzzo que acaba de se demitir sendo aquele que apagou as luzes do jornalismo no semanário soprando a chama da própria vela.

    Foi também o Diogo que, em pleno Manhattan Connection, arrancou a falsa melena, a peruca bilionária de Eike Batista para mostrar que ele, convidado especial do Lucas Mendes, era como empresário, tão careca quanto era careca sua cabeça.

    Foi ele que apontou o dedo para FHC e Luiza Trajano dedurando-os como passadores de pano nos casos de Lula e Dilma Rousseff, respectivamente.

    Agora, ao comentar que a popularidade do presidente peruano Martin Viscarra atingiu o nível recorde de 79% logo após a medida de dissolver o Congresso e bloquear o Tribunal Constitucional do país andino, instituições que vinham tentando obstruir os processos contra os corruptos envolvidos com a Construtora Odebrecht, Diogo destacou que no Brasil, o povo anda quieto, o que poderia estimular o STF a desidratar a Lava-Jato, inocentando Lula e seus comparsas.

    Teme Mainardi que se isso acontecesse, o povo brasileiro apoiaria maciçamente que Bolsonaro fizesse a mesma coisa que foi feita no Peru, o que ele chamou de medidas antidemocráticas e autoritárias.

    Ok! Mas medidas antidemocráticas e autoritárias, para usar os mesmos termos colocados na mesa pelo Diogo, é o que tem emanado dos três poderes da República, mais as do MP.

    Antidemocrática, é a palavra que se tem usado de forma pervertida para conceituar o que é contra a vontade popular. Em muitos caso, a vontade popular ampara medidas liberticidas e violentas que acabam prejudicando a economia e a prosperidade do Brasil.

    Autoritárias são as decisões que violam nossos direitos individuais, desde libertar assassinos confessos de crimes hediondos até financiar campeões nacionais com dinheiro arrancado à força de quem sua, sangra e chora quando o fruto do seu trabalho lhe é retirado das mãos antes mesmo de ser aproveitado por quem o plantou.

    Não apoio golpes de estado, já tivemos vários e todos se provaram ineficazes. Entretanto, não acho que estejamos vivendo sob a égide da liberdade e da justiça. Pelo contrário, desde 1930, somos um dos países mais liberticidas e injustos do mundo. A culpa disso tudo se divide entre a elite corporativista, sempre atrás de ganhos imerecidos, e o povo inculto, esse que prefere abdicar do controle de suas vidas, do que responsabilizar-se pelo próprio destino, acreditando que cabe aos políticos, aos juízes e aos burocratas, donos do poder coercitivo do estado, a produção do milagre de lhes dar de comer hoje e a seus filhos no futuro, sem empobrecê-los.

  • O MITO DA CONCENTRAÇÃO TRIBUTÁRIA

    Eis o texto do economista e pensador Darcy Francisco dos Santos - O MITO DA CONCENTRAÇÃO TRIBUTÁRIA NA UNIÃO -

    Há inverdades que, sendo repetidas por muito tempo, acabam consideradas verdades. Uma delas é a de que a maioria dos recursos está concentrada na União, o que não é bem assim. Isso porque os recursos arrecadados são transformados em benefícios nos estados em que alguns arrecadam muito menos do que retorna para sua população. Em se tratando da contribuição previdenciária, a metade dos estados contribuem com menos 40% dos benefícios, havendo casos de 20%, até menos.

    Em 2018, depois de feitas as transferências constitucionais e legais aos demais entes federados, restaram líquidos ao Governo Central R$ 1,227 trilhão do qual R$ 823 milhões (somado o valor das DRU), ou 67%, pertencem por lei à seguridade social. Como isso se repete todos os anos, podemos dizer que de cada três reais arrecadados pela União, dois são reservados para aplicar em seguridade social (previdência, saúde e assistência social).
    Mas isso não vem sendo suficiente. Em 2018 foram aplicados em seguridade social 81% da citada receita líquida do Governo Central, envolvendo apenas três ministérios. Na composição desse percentual, 57% coube à previdência, 10% à saúde e o restante a outros itens. Destacamos que esse gasto inclui as pensões dos militares, mas não inclui sua despesa com inativos, que é custeada pelos 19% restantes

    Esses 19% é o que “sobra” para atender 45 ministérios e órgãos, sendo, logicamente, insuficientes. Por isso, os enormes déficits primários que são incorporados à dívida, implicando em grande dispêndio com juros, que não são pagos ou pagos mediante novos empréstimos.

    Fazemos esses esclarecimentos, porque estamos tratando de uma reforma tributária em que estados e municípios estão sendo enganados por essas falsas crenças do que basta redistribuir o bolo para eles disporem de mais recursos.

    Não basta. A melhora da situação fiscal de estados e municípios depende do crescimento econômico e de grande ajuste na despesa. Fora disso é ilusão. Precisam ser reduzidos os gastos com previdência em todos os níveis, cuja reforma que está sendo votada não será suficiente.

    Que fique claro: a concentração dos recursos na União não encontra sustentação nos números. Não passa de um mito!

FRASE DO DIA

O poder revela o homem.

A.Toynbee