O TERMÔMETRO E A FEBRE

AGENTES VOLUNTÁRIOS

Ainda que sérios problemas políticos estejam dificultando e complicando a vida do governo Temer, as iniciativas econômicas estão servindo para melhorar o ânimo dos agentes -voluntários- (iniciativa privada) que realmente produzem. 

ESPETÁCULO ECONÔMICO

Pois, tal qual um Circo, que ao se apresentar numa cidade faz um desfile pelas principais ruas, mostrando o que de bom será exibido sob as lonas, o novo governo resolveu:

1- mostrar a cruel realidade das contas;

2- manifestar que o espetáculo econômico só terá êxito caso as boas intenções sejam implementadas.  

CAUSAS DOS PROBLEMAS

Poucos brasileiros, pelas atitudes que tomam, são capazes de discernir e enxergar onde estão as CAUSAS dos nossos PROBLEMAS econômicos. A maioria, tanto absoluta quanto relativa vê através apenas das CONSEQUÊNCIAS os responsáveis diretos pelos nossos fracassos.

 

FALTA DE DISCERNIMENTO

Vejam, por exemplo, o caso da INFLAÇÃO, do DESEMPREGO, das TAXAS DE JUROS, da TAXA DE CRESCIMENTO, como bem lembra e informa o pensador Ricardo Bergamini.

Os brasileiros, por demonstrarem total desconhecimento quanto à relação CAUSA/EFEITO desses grandes problemas, exigem que os males sejam debelados mexendo nas CONSEQUÊNCIAS. Pode?  

FEBRE

É importante lembrar a todo momento que TAXA DE CRESCIMENTO DO PIB , DE CÂMBIO, DE JUROS, DE INFLAÇÃO, DE DESEMPPREGO, DA CARGA TRIBUTÁRIA, A POLÍTICA FISCAL E TRIBUTÁRIA, etc., são TERMÔMETROS e não a FEBRE.
 
 

RESPONSÁVEIS DIRETOS

Portanto, nos governos e nas empresas os responsáveis diretos pelos INDICADORES RELATIVOS AOS TERMÔMETROS são os tesoureiros com seus FLUXOS DE CAIXA, cabendo à Diretoria e ao Conselho de Administração a responsabilidade por cuidar da FEBRE. 
 

ANÁLISE

Fazendo uma ANÁLISE DOS TERMÔMETROS ECONÔMICOS E DA FEBRE, temos: 
 
TAXA DE CRESCIMENTO - Somente ocorre de forma robusta e sadia por dois fatores: descoberta de novas tecnologias e consequente aumento de produtividade, ou aumento de poupança.
 
A FEBRE é a farsa usada pelo governo do PT de produzir crescimento econômico pela ilusão monetária, com base no aumento da moeda a vista e a prazo.  
 
TAXA DE CÂMBIO - É um indicador que mostra desequilíbrio nas relações exógenas do Brasil com o resto do mundo.
 
A FEBRE ocorre por desequilíbrio na carga tributária entre as nações, gerando contrabando, ou desconfiança, risco jurídico, provocando fuga de capital.
 
TAXA DE JUROS - É o termômetro que mostra apenas o preço do dinheiro, que da mesma forma que qualquer outro produto ou serviço, se tiver em abundância o preço desce e caso contrário sobe. Mera aplicação da lei da oferta e da procura.
 
A FEBRE é o descontrole imoral e criminoso de gastos públicos, gerando déficits monstruosos, tendo que serem cobertos com vultosos empréstimos, que os investidores nacionais e internacionais agradecem calorosamente por essa prática criminosa dos governos.
 
TAXA DE INFLAÇÃO - É um termômetro que indica que a economia está em desequilíbrio entre a oferta monetária e a quantidade de produtos ofertados.
 
A FEBRE é que somente o governo federal tem poder de combater com a política monetária e cortes de gastos público.
 
CARGA TRIBUTÁRIA - É um termômetro que tem como únicos e exclusivos responsáveis os governos (Federal, Estaduais e Municipais).
 
A FEBRE é que da mesma forma que nos condomínios, aumentou as despesas, aumenta o rateio da taxa condominial.
 
POLITICA FISCAL - É um termômetro para apuração das despesas do governo.
 
A FEBRE é o imoral, criminoso e injusto -GASTO PÚBLICO-, principalmente com pessoal e, mais principalmente ainda a PREVIDÊNCIA SOCIAL (soma da conta dos brasileiros de SEGUNDA CLASSE, ou INSS) e brasileiros de PRIMEIRA CLASSE, ou funcionários públicos.) 
 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • PLANEJAMENTO

    O jornal Folha de São Paulo informou que o economista Paulo Rabello de Castro estaria cotado para o Ministério do Planejamento e também para presidir o IBGE. Rabello disse que o instituto é "uma entidade fabulosa que precisa de mais apoio", mas afirma que não acertou nada com o presidente interino.

    Pois, para o Brasil seria extremamente importante se Paulo Rabello fosse o escolhido. Daria, certamente, um salto de qualidade na nossa economia. 

     

  • DIA DOS NAMORADOS

    O ditado “O que acontece em Vegas, fica em Vegas!” ganha uma nova versão com a campanha de Dia dos Namorados do Bourbon Shopping: “O que acontece em Vegas, acontecerá também em Porto Alegre”. A ação, que tem início no dia 30 de maio, será marcada pela Vegas Party, que ocorre no Pavilhão de Exposições da Fiergs no dia 11 de junho, às 23h, com ingressos limitados. Apostando na inovação, conforto e qualidade como fatores de entretenimento moderno, a rede Bourbon Shopping e o Green Valley buscam inspiração na magia e no encanto que Las Vegas exerce em casais e solteiros e trazem para a Capital dos gaúchos uma festa de proporções inéditas.

    Mecânica
    Os clientes do Bourbon Shopping devem trocar de 30 de maio a 11 de junho, R$ 400,00 em notas fiscais por um ingresso, que dará acesso aos dois espaços da festa. O Stage 2 Green Valley estará aberto ao público em geral com ingressos limitados no valor de R$ 200,00. A ação tem apoio da Loop Discos. Participam da ação os shoppings Bourbon Shopping Assis Brasil, Country, Ipiranga, Wallig, Novo Hamburgo e São Leopoldo, além do Porto Alegre CenterLar. A classificação etária do evento é de 18 anos.

  • EUA

    Nos EUA, a segunda revisão do PIB apontou crescimento de 0,8% no 1T2016, na comparação com o trimestre anterior anualizada, o que representou uma melhora em relação à primeira estimativa (+0,5%), mas situando-se abaixo do previsto pelo mercado (+0,9%). A revisão refletiu um ajuste de estoque mais ameno que divulgado preliminarmente e uma contração menor das exportações líquidas.
     

FRASE DO DIA

“Na constituinte de 1988, a lógica econômica entrou de férias.  

Roberto Campos