CRIME: SETOR QUE SÓ CRESCE

SETOR CRIME

Independente das operações que vem sendo deflagradas, constantemente, pelo Ministério Público e pela Polícia Federal, o SETOR CRIME, de forma mais do que evidente e reconhecida, continua crescendo, de forma exponencial, em todos os cantos do país. Mais: afligindo tanto os brasileiros quanto os turistas-visitantes.

 

DESONESTIDADE

Antes de tudo é importante esclarecer que no Brasil só é considerado CRIME aquilo que está à margem da lei. Ora, como nem tudo que é lícito (legal) é tido como honesto, muito daquilo, que à luz da lógica e da consciência deveria ser considerado CRIME, deixa de ser levado em conta. Mas deveria, porque a DESONESTIDADE tem o mesmo peso social.

SETORES SOCIAIS

Em termos sociais temos os seguintes setores:

1- o PRIMEIRO SETOR, que é o PÚBLICO, ou seja, o Estado/Governo, também conhecido como setor NÃO PRODUTIVO. Ou parasitário, no nosso caso.

2- o SEGUNDO SETOR, representado pelo MERCADO, ou seja, o que é privado. É conhecido como SETOR PRODUTIVO.

3- o TERCEIRO SETOR, que é uma terminologia sociológica que dá significado a todas as iniciativas privadas de utilidade pública com origem na sociedade civil. É representado pelas conhecidas ONGs - ORGANIZAÇÕES NÃO GOVERNAMENTAIS.

 

QUARTO SETOR

Pois, mesmo que todos os tipos de CRIME sempre estiveram presentes em todos os cantos do planeta, no Brasil o SETOR CRIME é, comprovadamente por todas as estatísticas, aquele que mais cresce. Isto sem falar nos latrocínios e homicídios que acabam com o sossego e, muitas vezes, com a vida dos atingidos.
 

ATITUDE

De novo: este QUARTO SETOR, cujos atos praticados independem de categoria, tipo, atitude e valores, está presente em vários países. A diferença entre o que acontece aqui, se comparado com países sérios, está na atitude.

Para tentar impedir o avanço dos atos ilícitos, os governantes sérios, além de melhorar os controles e a segurança, impõem PENAS PESADAS aos criminosos. Coisa que não se cogita no nosso pobre país.

INCENTIVO AO CRIME

No Brasil, mais do que sabido, não é assim que as coisas funcionam. Além de um policiamento frágil, e muitas vezes envolvido com atos criminosos, as penalidades, quando aplicadas para os poucos que conseguem ser presos, estão mais identificadas como programas de INCENTIVO AO CRIME.

Daí a razão para dizer, com absoluta certeza, que o SETOR CRIME é aquele que apresenta maior crescimento no país. Mais: está permeado em todos os demais Setores e fora deles.

O MAIS RENTÁVEL

Ultimamente, o CRIME tem mostrado um crescimento fantástico dentro SETOR PÚBLICO. É ali que a corrupção se instalou com força total e descomunal em todos os níveis. Não há um dia sequer que a imprensa não descubra ou noticie uma falcatrua.

Vivendo num ambiente assim, onde a impunidade é imensa, a sociedade como um todo acaba contribuindo, abertamente, e cada vez com mais intensidade, para o crescimento deste QUARTO SETOR, que vai desde o contrabando (de qualquer tamanho), pirataria, falsificação, sonegação, pequenos roubos, tráfico de drogas, etc.

E quando alguém se insurge e resolve aplicar a lei, coisa rara no Brasil, um escudo salvador, conhecido como -DIREITOS HUMANOS- é imediatamente acionado pelo criminoso. Pronto. Diante desta pura verdade só nos resta dar um -VIVA- ao QUARTO SETOR!- Além de promissor é, certamente, o mais rentável.

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • BRASIL

    Ontem, o Copom (Comitê de Política Monetária) decidiu manter a Selic em 14,25% ao ano. Assim,  a taxa Selic permanece em seu maior nível desde agosto de 2006, após sete altas seguidas. A próxima reunião do comitê está marcada para os dias 20 e 21 de outubro. 

  • EUROPA

    Já na Europa, o Banco Central Europeu (BCE) manteve as taxas básicas de juros inalteradas nas mínimas históricas (0,05% ao ano), apesar das sinalizações de recuperação moderada e inflação baixa, que geram expectativa pela ampliação de seu programa de estímulos.

    Além disso, o PMI (indicador de atividade) composto da zona do euro subiu de 53,9 em julho para 54,3 em agosto. 

  • INCOMODADO

    Segundo informa a Veja, ontem o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, procurou a presidente Dilma Rousseff e o seu vice, Michel Temer, para lhes dizer que está se sentindo isolado e sem apoio no governo. A sua atitude teve como base a decisão de Dilma de encaminhar o Orçamento com previsão de déficit de 30,5 bilhões de reais. 

  • REAL/DÓLAR

    Para quem não sabe, não foi o Dólar que disparou frente ao Real. Foi, isto sim, o Real que se desvalorizou frente ao dólar. Mais: não é hora de perguntar até onde vai a desvalorização, mas de sair do Real o quanto antes.

FRASE DO DIA

Um homem decente envergonha-se do governo sob o qual vive.

H. L. Mencken