PRIVILEGIADO OU MAL INFORMADO

VITAL

Como a REFORMA DA PREVIDÊNCIA é simplesmente VITAL para as contas públicas face ao imenso e sempre crescente ROMBO que produz, o qual só consegue ser menor se comparada com a extraordinária INJUSTIÇA, volto a insistir sobre o tema. 

ECONOMIA REDUZIDA

Passados dois dias da apresentação da proposta do governo, que se aprovada assim como está produziria uma ECONOMIA DE R$ 1,176 TRILHÃO para os COFRES PÚBLICOS (leia-se pagador de impostos), já se vê, claramente a disposição de alguns parlamentares em promover lamentáveis MUTILAÇÕES no corpo do projeto, a ponto de fazer com que a tal ECONOMIA projetada não fique além de R$ 700 ou 800 BILHÕES.

 

CORTES

Isto, basicamente, porque alguns deputados simplesmente não concordam com vários CORTES DE BENEFÍCIOS que o projeto de REFORMA DA PREVIDÊNCIA está propondo. Isto, sem falar nos -DIREITOS ADQUIRIDOS-, que por força de lei -pétrea- mantém absolutamente intactos todos os PRIVILÉGIOS até agora concedidos.  

SE O BRASIL AGUENTAR

Ora, as contas da PREVIDÊNCIA SOCIAL como um todo (RGPS - conhecida por INSS) e RPPS, (que abriga os servidores públicos) já impõem ROMBOS ENORMES. Isto significa que do jeito que está, ao final dos próximos 10 anos, se o Brasil aguentar (o que é praticamente impossível), a soma dos ROMBOS anuais será na ordem de R$ 3,5 TRILHÕES.  

ROMBO CONTINUADO

Considerando que o projeto de REFORMA DA PREVIDÊNCIA, se aprovado assim como foi encaminhado ao Congresso, propõe ao final de 10 anos uma ECONOMIA DE 1,176 TRILHÃO, isto significa que o Tesouro Nacional precisará desembolsar, para equilibrar a CONTA, algo em torno de R$ 2,3 TRILHÕES.  

EM TEMPO ALGUM

Resumindo:  cada centavo (ou bilhões) que os congressistas vierem a cortar daquilo que está na REFORMA DA PREVIDÊNCIA, este valor vai impactar negativamente na ECONOMIA que o projeto prevê. Se a sociedade não se posicionar a favor da REFORMA, os NOJENTOS PRIVILÉGIOS jamais vão deixar de existir em tempo algum.  

PRIVILEGIADO OU MAL INFORMADO

ATENÇÃO - Se todos os atuais aposentados estivessem sob O Regime Geral de Previdência Social (INSS), mesmo assim o ROMBO estaria muito presente e garantido. Em 2018, por exemplo, o INSS gerou um ROMBO de R$ 192,5 BILHÕES.

Isto considerando que no nosso empobrecido Brasil a aposentadoria média é a seguinte:

INSS - R$ 1.240,00

SERVIDOR PÚBLICO DO EXECUTIVO - R$ 7.583,00

MILITARES -R$ 9.597,00

JUDICIÁRIO - R$ 26.302,00

SERVIDOR PÚBLICO DO LEGISLATIVO - R$ 28.547,00

Como bem diz João Amoêdo, do partido NOVO: QUEM É CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA, OU ESTÁ ENTRE OS PRIVILEGIADOS OU ESTÁ, MAL INFORMADO.

 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • ESPAÇO PENSAR+

    O texto abaixo, sobre Porto Alegre, capital do Estado do RS, o pensador Roberto Rachewsky escreveu há 2 anos. Agora ele pergunta se Porto Alegre mudou para melhor, ficou na mesma ou piorou?

    Uma coisa é inegável. Os últimos 30 anos de governos socialistas "sovietizaram" Porto Alegre. As pessoas estão com medo, movem-se desconfiadas, arredias. Ninguém quer ficar nas ruas, nos restaurantes, nem nas padarias. As lojas fecham às dúzias, as que seguem abertas vendem quinquilharias, o que é mais sofisticado é de quinta categoria. A arquitetura é pálida, sem identidade e a estética é definida pelo preço da pastilha. O trânsito é como os políticos, não tem lógica, nem faz sentido. Os nervos estão à flor da pele, as pessoas estão histéricas, raivosas, fanáticas, defendendo foices, martelos e até suásticas. Os bandidos estão insolentes, os policiais negligentes, os burocratas indolentes, os políticos indecentes e os juízes prepotentes. O povo assiste passivo e complacente. A população envelheceu, depauperou, enfeiou e emburreceu. O gaúcho empreendedor se não quebrou ou não morreu, virou paulista, australiano, americano ou europeu. Quem segue aqui como eu, deve estar vendo o que eu vejo. Não há como se evadir, o Rio Grande do Sul e sua capital estão definhando no campo, na indústria, no atacado, no serviço e no varejo. Faltam hospitais, escolas, presídios, mas antes de tudo, falta acreditar no indivíduo, na racionalidade, na livre iniciativa, na propriedade privada e na capacidade do gaúcho de construir um futuro, alicerçado no próprio esforço, com independência e tenacidade, usando sua liberdade para buscar por mérito a tão desejada felicidade.
     

  • TRATTORIA CASA ANGELO

    O Boulevard Laçador, em Porto Alegre, conta agora com mais uma opção gastronômica para os amantes da culinária italiana. Vinda diretamente da Serra Gaúcha, a Trattoria Casa Angelo traz, em sua nova unidade, um pouco da história que deu origem ao primeiro restaurante da marca. O novo espaço, que conta com 350m², remete à casa centenária, construída em 1889, onde foi inaugurado o primeiro restaurante Casa Angelo, em uma conhecida rota turística da cidade de Bento Gonçalves.
     

FRASE DO DIA

O governo não tem dinheiro próprio. É todo o seu dinheiro.

Margaret Thatcher