Artigos

12 ago 2020

O ABANDONO DA LUTA


DEBANDADA

Não são poucos os temas que me proponho a comentar e/ou analisar nos meus editoriais. Entretanto, ao tomar conhecimento da saída dos liberais - Salim Mattar, secretário de DESESTATIZAÇÃO, e Paulo Uebel, secretário de DESBUROCRATIZAÇÃO, este tema goza de ALTA PRIORIDADE para ser abordado e, se possível, compreendido pelos leitores que foram pegos de surpresa com a notícia da DEBANDADA, como classificou o ministro Paulo Guedes.  


TIME DAS CORPORAÇÕES

Pois, para começar, é importante lembrar que no início do governo Bolsonaro, lá em janeiro de 2019, escrevi dizendo que as PRETENSÕES LIBERAIS defendidas pela equipe econômica, como bem consta no Plano de Governo que elegeu o presidente Jair Bolsonaro, iriam BATER DE FRENTE com as PRETENSÕES do PODEROSÍSSIMO TIME DAS CORPORAÇÕES.  


PITADA DE PESSIMISMO

Senti, naquela ocasião, que a minha afirmação teve uma repercussão ruim junto a vários e fiéis leitores. Alguns, inclusive, enviaram mensagens dizendo que o meu texto continha PITADAS INCABÍVEIS DE PESSIMISMO, uma vez que O governo Bolsonaro foi eleito por defender um ousado PLANO DE DESBUROCRATIZAÇÃO E DE DESESTATIZAÇÃO. 


AJUDA DOS ÁRBITROS

Se a saída de Mansueto, por mais que já estivesse combinada, exalou um cheiro de DESCONFIANÇA, agora, com a queda de Mattar e de Uebel, fica evidente que o TIME DAS CORPORAÇÕES está dando de goleada. Mais: além de jogadores muito fortes, o TIME DAS CORPORAÇÕES vem recebendo, desde sempre, uma fantástica AJUDA dos ÁRBITROS. Observem que além de paralisar o jogo a todo momento, ainda tomam decisões absurdas visando impedir até as intenções de ataque dos LIBERAIS, pouco importando que a torcida exige um jogo justo.


PERSISTÊNCIA

Pois, por mais que não esteja surpreso com o resultado do JOGO, como já havia previsto lá no início de 2019, o que me impressiona é o ABANDONO DA LUTA. Vejam, por exemplo, o meu caso: mesmo sabendo das dificuldades, que não são poucas nem leves, sigo focado, com muita persistência, produzindo conteúdos que têm como propósito ESCLARECER o quanto o povo brasileiro é vítima dos PRIVILÉGIOS conferidos aos SERVIDORES PÚBLICOS e EMPREGADOS DE ESTATAIS, considerados de PRIMEIRA CLASSE. 


ADMISSÃO DA DERROTA

Confesso que, mesmo levando em boa consideração o que disseram os dois secretários para justificar suas saídas da equipe econômica, vi, infelizmente, que ambos admitiram a derrota frente ao TIME DAS CORPORAÇÕES bem antes do jogo terminar. De novo: eles não podem dizer que não sabiam com quem estavam tratando. Ou seja, mesmo quando admito que a probabilidade de ser derrotado é grande, ainda assim sigo lutando. 



Leia mais


11 ago 2020

POVO COMPROVADAMENTE TESTADO


TESTE ENCERRADO

Se, em algum momento, as decisões estapafúrdias tomadas  pelos ministros da Suprema Corte, as quais, decididamente, contrastam com aquilo que o chamado MUNDO CIVILIZADO entende por JUSTIÇA, foi entendida como uma PEGADINHA, com o propósito de TESTAR A POPULAÇÃO para descobrir o LIMITE DA INDIGNAÇÃO DO POVO, esta tarefa/sensação foi dada por encerrada, definitivamente,  no dia 2 de agosto. 


PRESCRIÇÃO

No dia 2/8, para quem não sabe, a maioria dos ministros do STF votou pela prescrição, em cinco anos, de ações de ressarcimento aos cofres públicos contra agentes que cometam ato de IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA.


CINCO ANOS

Traduzindo, isto significa que uma vez mantido o entendimento da maioria (seis ministros votaram pela prescrição), um processo só poderá ser iniciado até CINCO ANOS a partir da data em que foi descoberto o fato apontado como irregular. Ou seja, só dentro do prazo de CINCO ANOS o Estado poderá entrar com ações para DEVOLUÇÃO DO DINHEIRO ROUBADO. Que tal?


IMPUNIDADE

Ora, como o STF não julgou nenhuma ação da tropa de bandidos da Lava Jato que já foram condenados em PRIMEIRA E SEGUNDA INSTÂNCIA, o que comprova uma explícita adoração e compromisso com a IMPUNIDADE, fica claro que a ordem é deixar passar CINCO ANOS para eximir os condenados de DEVOLVER O QUE FOI ROUBADO. 


APENAS INDIGNADO

Se muita gente ainda carregava a esperança de que a qualquer momento a crescente INDIGNAÇÃO estava amadurecendo a possibilidade de se transformar em AÇÃO, como nada aconteceu depois de passados pouco mais de uma semana desta fantástica decisão dos SEIS MINISTROS, tudo leva a crer que o resultado do TESTE foi revelador: o brasileiro prefere ser apenas e tão somente um POVO INDIGNADO. Nada mais do que INDIGNADO. Pode? 


ESPAÇO PENSAR +

No Espaço Pensar + de hoje:  IDEOLOGIA DO CEMITÉRIO - "O “Partido Funerário Brasileiro” e a volta do distanciamento social - por J.R.Guzzo e  SURTOS - por Roberto Rachewsky - Acesse o link https://www.pontocritico.com/espaco-pensar .



Leia mais


10 ago 2020

A VERDADE PRECISA SER REPETIDA MIL VEZES


O EFEITO REPETIÇÃO

Assim como Joseph Goebbels afirmava, com total convicção, que UMA MENTIRA REPETIDA MIL VEZES TORNA-SE VERDADE, esta máxima me leva a crer, também com absoluta convicção, que UMA VERDADE REPETIDA MIL VEZES REFORÇA A VERDADE. Ou seja, o que é efeito na arte do convencimento sobre qualquer coisa que é dita está na REPETIÇÃO. 


SÓ RESTA CUMPRIR

Portanto, partindo deste pressuposto é importante REPETIR, na quantidade maior possível, que as DESPESAS COM FOLHA DE PAGAMENTO DOS SERVIDORES, por força CONSTITUCIONAL, são ABSOLUTAMENTE INTOCÁVEIS, independe da vontade de qualquer governante, quer seja ele do Poder Executivo, do Legislativo ou do Judiciário. De novo: qualquer funcionário ESTATUTÁRIO que é contratado, ou qualquer reajuste salarial que a ele for concedido, passa a gozar do DIREITO ADQUIRIDO-. Em síntese: vira DESPESA PÚBLICA PARA SEMPRE.  


DESCONHECIMENTO DA SOCIEDADE

Infelizmente, a sociedade brasileira, influenciada com muita frequência pela mídia nada esclarecedora, dá demonstração constante do quanto desconhece esta REGRA CONSTITUCIONAL, que ainda está BLINDADA POR CLÁUSULAS PÉTREAS, do tipo que só pode ser modificada por uma NOVA CONSTITUIÇÃO, ou seja não está ao alcance de qualquer PEC- Projeto de Emenda Constitucional. 


DISPOSIÇÃO PARA CORTAR GASTOS

Vejam, por exemplo, que entra dia e sai dia e o que mais se vê, ouve e lê é que os governantes em geral, independente do Poder (Executivo, Legislativo ou Judiciário) não mostram disposição para cortar despesas, mas, ao contrário, se mostram prontos e dispostos para aumentar a arrecadação via a criação de um novo imposto e/ou majoração de alíquotas de tributos já existentes. 


PRIMEIRA CLASSE

Segundo dados OFICIAIS levantados pelo economista Ricardo Bergamini, um grupo de trabalhadores de PRIMEIRA CLASSE (servidores públicos), composto por 12,6 milhões de brasileiros (ativos, inativos, civis e militares) que representam apenas 5,97% da população brasileira, sendo 2,2 milhões federais, 4,0 milhões estaduais e 6,4 milhões de municipais, custaram R$ 1.172,6 bilhões em 2019, correspondente a 16,16% do PIB. Esse percentual representou 48,59% da carga tributária que foi de 33,26% do PIB em 2018.

Esta CONTA PÚBLICA, goste ou não o governante, deve ser PAGA.  


MÍSEROS 3%

Somando com os GASTOS CONSIDERADOS OBRIGATÓRIOS (assim definidos pelo LEGISLATIVO com apoio irrestrito do JUDICIÁRIO, as DESPESAS PÚBLICAS chegam a mais de 97% do total arrecadado. Em tese, o papel do PODER EXECUTIVO, quer seja da União, dos Estados ou dos Municípios, é de apenas e tão somente PAGAR. Eles só têm poder de cortar DESPESAS DISCRICIONÁRIAS, que estão em torno de míseros 3%. Mais: se fossem todas CORTADAS não fariam cócegas na DESPESA GERAL. 


PROVIDÊNCIA ÚNICA

Gostem ou não, a SOLUÇÃO para GASTOS COM PESSOAL está numa NOVA CONSTITUIÇÃO. Sem esta importante providência não há como diminuir os MAIORES GASTOS PÚBLICOS QUE O BRASIL ENFRENTA . Em todos os níveis.


ESPAÇO PENSAR +

No Espaço Pensar + de hoje - A NAÇÃO PEDE RESPEITO - por Percival Puggina. https://www.pontocritico.com/espaco-pensar



Leia mais


08 ago 2020

A CULPA NÃO É DO MÊS DE AGOSTO


LENDA COM CARA DE FAKE NEWS

Entra ano e sai ano e o mês de AGOSTO segue mantendo a fama, notadamente para aqueles que são dominados pela superstição, de MÊS DO DESGOSTO, ou, para muitos, de MÊS DO CACHORRO LOUCO. 


LENDA

Segundo reza a lenda, no século 1 os antigos romanos temiam o mês de agosto, por acreditar que nessa época aparecia no céu, durante a noite, um dragão cuspindo fogo. Na, realidade tratava-se da constelação de Leão, que fica mais visível durante este período do ano. 

Mais recentemente, alguns acontecimentos mundiais ajudaram para manter a crença de que o mês de AGOSTO é agourento, como: 1- no dia 2 de agosto de 1934, Hitler tornou-se líder da Alemanha; 2- em 1945, nos dias 6 e 9 de agosto, Hiroshima e Nagasaki foram atacadas pelas bombas atômicas. No Brasil, por exemplo, no dia 21 de agosto de 1961 Jânio Quadros renunciou à presidência; e no dia 24 de agosto de 1954, Getúlio Vargas cometeu suicídio.


CULPA É DO MÊS DE AGOSTO?

Ora, problemas e soluções não marcam dia, mês e hora para se tornarem realidade. Quem faz as coisas acontecerem somos nós, que habitamos este planeta, e nada têm a ver com os meses do ano. 


DECISÕES DO SUPREMO

Vejam, por exemplo, que os ministros do STF nunca mostraram mínima preocupação em aguardar a chegada do mês de agosto para decidir aquilo que nem os FEROZES DRAGÕES, CUSPINDO FOGO PELAS VENTAS, seriam capazes. Como se vê, o ministro Gilmar Mendes não espera a chegada do mês de AGOSTO para mandar soltar todos os tipos de bandidos; da mesma forma, o ministro Alexandre de Moraes, que atua diariamente contra a liberdade de todos os brasileiros.


MUITA COISA BOA

Pois, na minha ótica o mês de agosto oferece muita coisa boa para festejar. Um, que me dá imenso prazer e alegria, é que a minha filha nasceu no dia 13. Outro, porque o segundo domingo de agosto, aqui no Brasil, é o Dia dos Pais. não há, portanto, como considerar que este é o MÊS DO DESGOSTO.


DIA DOS PAIS

O editorial do Ponto Critico, que deveria ser entregue ontem, 6ª feira, acontece nesta manhã de sábado com votos de muita felicidade a todos os PAIS. Aproveitem, pais e filhos, este domingo de forma especial. Troquem abraços, festejem a companhia e relevem o que puderem. Sejam felizes!



Leia mais


06 ago 2020

A FAKE NEWS QUE VIROU TRUE NEWS


ALEXANDRE GARCIA

Em artigo recente, publicado na Gazeta do Povo, o jornalista Alexandre Garcia cita que a primeira FAKE NEWS que ele lembra foi em janeiro de 1952, quando tinha 11 anos. Garcia diz que a vigarice, estampada na revista -O Cruzeiro-, de grande circulação na época, foi produzida pelo fotógrafo Ed Keffel, que fez fotos numa MONTAGEM e a revista publicou como DISCOS VOADORES na Barra da Tijuca. E vendeu muito por isso. Desde então, arremata o jornalista, não cesso de ver FAKE NEWS em lugar de fatos. O estranho é que só agora o Supremo, a Câmara e o Senado passaram a se preocupar com isso.


FACTÓIDE

Garcia conta também que o político César Maia, pai do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, denunciou algo mais PÉRFIDO que uma NOTÍCIA FALSA: o -FACTÓIDE-. Parece fato, tem aparência de fato, é embrulhado como fato, mas serve para EMBRULHAR O LEITOR , O OUVINTE, O TELESPECTADOR. O Wall St. Journal acaba de ter uma espécie de rebelião na redação, exigindo que notícia e opinião venham separados, não misturados.


FOFOCAS DISFARÇADAS DE NOTÍCIA

Mais: - Fofocas e mexericos costumam vir disfarçados de notícia. No entanto, a preocupação do Congresso e do Supremo só visa as redes sociais, exatamente o instrumento pelo qual todos ganharam voz, para reivindicar, desabafar, sugerir, opinar, criticar. Como se trata de gente, não de anjos, também há ódios, mentiras, maus conselhos, ofensas. Para esses, a própria comunidade digital tem os anticorpos: a capacidade de pesquisar e derrubar a mentira, de responder, de boicotar, de expor o ofensor.


O BRASIL NÃO É UM PAÍS SÉRIO

No meu caso, o que me vem à lembrança como primeira FAKE NEWS foi a informação, com o uso de letras GARRAFAIS, ou -CAIXA ALTA-, veiculada no Jornal do Brasil, em 1962, um dos principais veículos de comunicação daquela época, afirmando que o então presidente da França, Charles De Gaulle, teria dito: - Brésil n’est pas un pays sérieux-, ou O BRASIL NÃO É UM PAÍS SÉRIO! 


O AUTOR DA FRASE FOI O EMBAIXADOR DO BRASIL

Pois, para quem não sabe, à época o embaixador brasileiro na França, Carlos Alves de Souza, em uma conversa privada com o correspondente do Jornal do Brasil em Paris, o jornalista Luiz Edgard de Andrade, disse a seguinte frase: - “Edgard, o Brasil não deve ser levado tão a sério nesta questão”, referindo-se à pouca habilidade do governo brasileiro em conduzir questões que diziam respeito ao que ficou conhecido como "Guerra da Lagosta".   


TRUE NEWS

O jornalista Luiz Edgard enviou sua matéria para o jornal, que estampou em CAIXA ALTA na primeira página a seguinte manchete, atribuída ao presidente francês: -“BRÉSIL N'EST PAS UN PAYS SÉRIEUX !

Anos mais tarde, Carlos Alves de Souza relatou em seu livro que o ex-presidente francês, pela sua formação e temperamento, jamais citaria uma frase tão deselegante ao chefe da missão do país estrangeiro, e que ele a citou para uma pessoa de suas relações (Luís Edgar). O incidente, no entanto, acabou sendo "envenenado" pela imprensa brasileira. Resultado: até hoje a grande maioria dos brasileiros está convencida de que De Gaulle foi o autor da frase. Foi uma FAKE NEWS que virou uma TRUE NEWS! 



Leia mais


05 ago 2020

EFEITOS COLATERAIS?


ÁLVARO DIAS

Ao longo da campanha eleitoral de 2018 um CANDIDATO que muito me chamou a atenção, por defender um BOM PROGRAMA REFORMISTA para o Brasil, foi o senador Álvaro Dias, cujo vice da chapa do -Podemos-, o economista e pensador Paulo Rabello de Castro, foi, e continua sendo, um árduo defensor da REFORMA TRIBUTÁRIA.  


PROJETO DE LEI

Entretanto, ao me deparar com o esdrúxulo e descabido Projeto de Lei, de autoria do senador Álvaro Dias, que LIMITA A TAXA DE JUROS cobrado pelos créditos ofertados por CARTÕES DE CRÉDITO e CHEQUE ESPECIAL, cuja votação está marcada para amanhã, 5ª feira, tudo aquilo que me chamou a atenção durante a campanha eleitoral foi literalmente por terra. 


UTI ESPECIAL

Se fosse um político do PT, do PSOL, do PDT, e outros partidos da ESQUERDA INCURÁVEL, este estúpido projeto de lei não causaria a mínima surpresa. Porém, como se trata de uma proposta defendida por Álvaro Dias, aí fico com a impressão de que algo muito mais forte do que é atribuído ao CORONAVÍRUS atingiu o cérebro do senador. Ao colocar no seu projeto de LEI aquilo que cabe apenas ao MERCADO, via NEGOCIAÇÃO entre as instituições e os consumidores tomadores de crédito, deixa claro que o senador Álvaro Dias está precisando ser internado numa UTI ESPECIAL.  


MIDAS MULLIGAN

Aliás, ao tomar conhecimento do lamentável projeto lembrei da figura do banqueiro Midas Mulligan, dono do Banco Mulligan, da obra de Ayn Rand -A REVOLTA DE ATLAS-. Diante de uma DECISÃO JUDICIAL determinando que o Banco Mulligan concedesse uma linha de crédito para uma empresa que, segundo o Comitê de Crédito da instituição, não possuía ESCORE SUFICIENTE para tanto, Midas Mulligan tomou a decisão de FECHAR o BANCO MULLIGAN.

Ao ser perguntado, pela sua secretária, sobre o motivo do FECHAMENTO do BANCO, Mulligan respondeu: - Quando um juiz decide quem deve ou não ser financiado, e não o meu Comitê de Crédito, aí não há como dirigir um Banco!


LIMITE DE JUROS

Mais decepcionado ainda fiquei quando vi que a INFAME PROPOSTA do senador Álvaro Dias conta com o apoio do senador Lasier Martins, também do PODEMOS (RS). Dias e Lasier estão convencidos de que os juros cobrados por cartões de crédito e nas linhas de crédito do cheque especial devem ser limitados em 30% ao ano. Pode?  


CONSEQUÊNCIAS

Ao invés de se preocupar com as CAUSAS que determinam os preços cobrados pelas instituições financeiras, os dois senadores só têm olhos voltados para as CONSEQUÊNCIAS.

A propósito, neste particular quem deve ser lembrado é Roberto Campos, ao dizer o seguinte: - Eliminando o crédito subvencionado, descobriríamos o milagre aritmético da média: os juros tenderiam a baixar pela diminuição da procura e pela mudança de expectativa! E o mercado bancário se tornaria mais competitivo, pois os bancos não mais precisariam ser racionados, dado que o governo poderia melhor controlar a base monetária, e cessaria de pressionar o mercado financeiro que reflete fielmente o excesso de demanda de recursos por parte do setor público, quer federal quer estadual.


ESPAÇO PENSAR +

No Espaço Pensar + de hoje texto de Roberto Rachewsky - GREVE EM BUSCA DE PRIVILÉGIOS - https://www.pontocritico.com/espaco-pensar



Leia mais