Artigos

15 out 2004

SEMANA DE ANIVERSÁRIO


SIAL 2004

A partir de segunda dia 18, estarei enviando notícias direto da França, onde participo mais uma vez do SIAL. Considerado o maior evento mundial no setor de alimentação, o SIAL é uma vitrine internacional para expositores de 94 países, um encontro indispensável para profissionais de produção, distribuição e comércio de alimentos. É, também, um revelador das tendências de consumo mundial.

O DECÁLOGO LIBERAL - 1

Segundo Roberto Campos: 1- O Brasil precisa parar de admirar o que não deu certo; 2- O governo não pode dar nada ao povo o que primeiro dele não tenha sido tirado; 3- Não se pode confundir Estado Forte com Estado Fraude. Para ser forte o Estado tem que ser modesto; 4- No Estado brasileiro os assistentes se dão melhor do que os assistidos; 5- O estado é melhor como jardineiro que deixa as plantas crescerem do que como engenheiro que faz as plantas erradas; 6- As riquezas artificiais ? educação e tecnologia - são mais importantes que as riquezas naturais;

O DECÁLOGO LIBERAL - 2

7- Os nacionalistas gastam tanto tempo odiando os outros países que não tem tempo para amar seu próprio país; 8- O erro dos militares foi não terem feito a abertura econômica antes da abertura política. O erro dos civis foi depois da abertura política fazerem a fechadura econômica; 8- O maior insumo do progresso é a liberdade econômica num mercado competitivo; e, 10 ? Os que crêem que a culpa dos nossos males está nas estrelas e não em nós mesmos ficam perdidos quando o as nuvens encobrem o céu.

OS PARADOXOS

Enquanto ainda tratamos as privatizações como dogmas, mal tomamos conhecimento que os programas pioneiros foram deflagrados por governos trabalhistas com retórica de esquerda, como Austrália e Nova Zelândia. E em termos de rapidez do processo, os campeões foram países comunistas, como a Rússia, a China e a República Checa. Outro desconhecimento é que as privatizações são uma forma capitalista de realizar o sonho socialista de difusão da propriedade. Este objetivo pode ser obtido diretamente pela pulverização da venda ou pela participação de fundos de pensão dos trabalhadores. É o chamado capitalismo do povo.

OS DONOS, NO BRASIL

Aqui no Brasil, lamentavelmente, quem ficou de dono ou maior acionista das empresas que foram privatizadas foram os fundos dos funcionários das Estatais, que foram montados com dinheiro público e quando não existiam ainda os fundos abertos de previdência. Além de funcionários, se adonaram dos ativos, o que aumentou ainda mais a desigualdade social, hoje tão comentada.

VALORES

O grande dilema das esquerdas continua sendo Solidariedade, Bondade, e Caridade, que deveriam ser entendidos como valores morais e não operacionais. Isto explica o constrangimento da sociedade com relação ao programa Fome Zero. Todos se colocam como solidários e bondosos, esquecendo que a operação é fraudulenta e demagógica. Como também é o orçamento participativo. A idéia de que é possível realizar estes programas automaticamente, por meio de uma engenharia econômica e política, parte do pressuposto de que já chegamos tecnologicamente ao fim da era da escassez. Como infelizmente isto não corresponde aos fatos, persiste sempre a mesma insolúvel dificuldade de como dividir bens escassos num mundo potencialmente insaciável, em que somente poucos mostram vocação pelo voto de pobreza.

FÁBRICAS DE GENTE

Enquanto isso, os menos desenvolvidos já somam 80% da população mundial. Como se a pobreza fosse pouca, tais países contribuem para que piore, pois despejam mais de 200 mil crianças por dia. Do tempo de Cristo até a descoberta do Brasil, a taxa de crescimento anual foi de 0,6 por mil. Hoje já é 25 vezes maior. Isto prova que o problema de pobreza não pode ser resolvido com Vontade Política. Exige aumento sério e forte de produtividade do setor privado e eficácia operacional do setor público. O que é possível quando os governos deixam de fazer o que não sabem e se concentram só no que importa.

AGENDA

O Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável (CEBDS) inicia, no dia 18 de outubro - segunda-feira, a série de seminários itinerantes Imprensa e Desenvolvimento Sustentável ? Pra Quem Vê o Futuro no Presente, no auditório da PUC de Porto Alegre. Informações no site www.cebds.com .

O HOSPITAL MOINHOS DE VENTO

nesta segunda, dia 18/10 reúne a imprensa para falar sobre a inauguração do Centro Clínico Tiradentes. Na ocasião, serão reveladas todas as informações sobre o investimento, os serviços e o atendimento que vai posicionar o Hospital entre os melhores do mundo.

Full Gauge Controls

empresa parceira do PONTOCRITICO.COM está expondo seus produtos na feira alemã IKK. O diretor Antônio Gobbi satisfeito com os resultados obtidos,diz que este ano, as exportações já cresceram 95% em relação a 2003. Sucesso.

Leia mais

14 out 2004

SEMANA DE ANIVERSÁRIO


CAMPANHAS EQUIVOCADAS

A cada dia se confirma que as campanhas feitas com o propósito de redução de ?acidentes? (?) de trânsito, não estão dando o resultado que todos gostariam. As mensagens pecam pela falta do diagnóstico correto. Uma grande parte, mas bota grande nisso, dos motoristas gaúchos, não sabe, não gosta ou não tem a mínima idéia do que representa a necessidade de seguir as leis de trânsito. Não tenho certeza se o mesmo acontece em outros Estados, mas sei que os gaúchos também desconhecem os limites e o correto uso dos equipamentos que dirigem. E que se lançam a fazer uso deles nas vias públicas. Somando estas deficiências, mesmo sem imprimir muita velocidade ao veículo, já temos ingredientes suficientes para que tudo de ruim aconteça.

O PROBLEMA É OUTRO

Nesse feriadão, a exemplo de muita gente, me desloquei para o litoral do RS. E decidi fazer o percurso no limite máximo de velocidade permitida, apesar da BR 290 oferecer condições para uma velocidade maior em vários trechos. Ao entrar na estrada já se percebe claramente que o problema não está só na velocidade dos veículos. Está, antes de tudo, na forma errada de pilotá-los. Eis alguns erros cometidos, de forma gritante:

ERROS GRITANTES - 1

1- o primeiro erro de quem vai para as estradas se mostra nas ultrapassagens. Quase todas são muito mal feitas, ignorando sempre as faixas de sinalização; 2- muitos motoristas já estão se acostumando a utilizar a faixa da direita para ultrapassagens, o que aumenta ainda mais o tamanho do erro e do risco. Se ultrapassar não significa acerto em muitas situações, imagine sendo pela direita, onde é erro puro; 3- a quase totalidade dos motoristas não tem noção de que estrada é diferente de cidade. A velocidade imprimida sendo sempre maior na estrada, a atenção precisa ser dobrada; 4- outra estupidez que faz parte da cultura do mau motorista gaúcho é entrar na estrada e posicionar o seu veículo, do início ao fim da viagem, na pista da esquerda. Ora, esta é uma regra básica que deveria ser do conhecimento de todos, onde a pista da esquerda deve ficar sempre livre para as ultrapassagens.

ERROS GRITANTES ? 2

5- além disso, aqueles que andam atrás desconhecem que deve haver uma distância mínima de 30 metros do veículo da frente. Um carro que fica colado a outro está pronto para uma colisão ou derrapagem. Basta uma freada brusca e, pronto. É fatal. Existem outros erros, mas os mais freqüentes e praticados são estes e dão a impressão de que são instruções recebidas, pois são corriqueiros.As campanhas de publicidade, certamente não tem como diminuir os índices de trombadas ou capotagens (que nada tem a ver com acidentes, que é algo fortuito). O problema está, pois, na reciclagem, na educação das pessoas, até porque as falhas mecânicas tem sido mínimas. As câmeras que hoje flagram a velocidade dos veículos deveriam flagrar é a má condução dos mesmos. Seria um show e daria uma idéia de como deveria ser uma campanha correta.

TRIBUTO A ROBERTO CAMPOS

Remexendo na minha gaveta onde guardo recortes de artigos escritos por Roberto Campos, separei alguns deles que estão muito atualizados e que merecem ser divulgados novamente para ajudar a esclarecer quem era este fantástico liberal que muita falta nos faz. Eis aí algumas pérolas:

A OPÇÃO PELO ATRASO - 1

Observando com atenção a nossa história, torna-se evidente a grande preferência que os brasileiros sempre mostraram pelo aumento do risco-país e pelo baixo crescimento econômico. E o resultado é que tudo isto tem custado muitíssimo caro ao Brasil. Vejam o que representou tal preferência: a 1a. Onda foi perdida quando JK gastou tudo para construir Brasília e o governo Jango foi à bancarrota; a 2a. Onda, já no governo Castelo Branco, apesar do nacionalismo exacerbado, ainda foi aproveitada com o crescimento industrial do mundo;

OPÇÃO PELO ATRASO - 2

a 3a. Onda, infelizmente, caracterizada pelo milagre asiático, a corrida tecnológica não foi aproveitada no Brasil. À época preferimos ficar com o Plano Cruzado e sua cultura do calote, que até hoje nos custa ainda muito caro, pois arruinamos fortemente a nossa imagem com a moratória unilateral. Como se não bastasse, fizemos a Constituição de 1988, exatamente um ano antes da queda do muro de Berlim. Um desastre enorme, pois foi utópica no social e muito intervencionista na economia.

AGENDA

-

ADVB/RS

A palestra com o empresário ambientalista Gunter Pauli, marcada para hoje às 19hs, foi transferida para o dia 19 de novembro, pois o palestrante não conseguiu estar em Porto Alegre.

AHÚ: DIÁRIOS DE UMA PRISÃO POLÍTICA

Este é o livro que o jornalista Políbio Braga lança hoje , a partir das 18 hs no Press café do Moinhos Shopping. Parabéns.

Leia mais

13 out 2004

SEMANA DE ANIVERSÁRIO


NÚMERO 01 ? ANO IV ?

Devido ao feriadão, o PONTOCRITICO.COM deixou de ser publicado na 2ª. feira, dia 11, data de seu 3º aniversário, como já havia sido informado anteriormente. Por isto, hoje iniciamos um novo período, começando com o Número 01 do Ano IV. E para brindar os nossos assinantes, nada melhor do que um texto do homenageado de todos os anos, o ex-ministro Roberto Campos. Aliás, durante esta semana estarei publicando sempre um de seus textos que ainda são muito atuais.

CRÍTICAS

Apesar de ter havido uma melhor consciência de que o socialismo não é o caminho da vitória, comparado com as vantagens inequívocas do capitalismo, falta muito ainda para que venhamos a trilhar rotas corretas e identificadas com a liberdade. É exatamente por isso que o PONTOCRITICO.COM se posiciona diariamente com críticas fundamentadas, evidenciando uma lógica de raciocínio onde procura explicar da melhor forma que as nossas mazelas são debitadas, em muito, por muita intervenção e falta de mais liberdade.

É DIFÍCIL AMAR O PRÓXIMO

Segundo RC, ?As esquerdas brasileiras que favorecem o dirigismo, certamente não amam os pobres. Historicamente, têm exibido tolerância em relação à inflação, punitiva para os pobres. Defendem alguns privilegiados por vantagens especiais da Previdência pública. Apóiam privilégios de algumas empresas públicas que nunca servem bem ao público e oneram o Tesouro. Reclamam da falta de empregos, mas hostilizam os investidores estrangeiros capazes de criá-los. Querem mais impostos sobre os ricos, esquecidos que a técnica socialista de empobrecer os ricos para enriquecer os pobres não foi bem-sucedida em nenhum país. Em suma, o esquerdismo brasileiro é um gladiador em perene luta contra a lógica econômica e a experiência da história. O slogan ? O capitalismo é bom para produzir e o socialismo é bom para distribuir ? é apenas uma mistura de cretinice acadêmica e falsidade ideológica.?

ANIVERSÁRIO DA CATÁSTROFE

Assim como se comemoram nascimentos e vidas bem sucedidas é preciso registrar algumas datas de falecimento ou de catástrofes. Servem muito até de alerta. Principalmente para que tais datas jamais sejam esquecidas, o que pode ajudar a impedir, quem sabe, recaídas futuras. Como está sendo reiniciado hoje o programa eleitoral gratuito, onde os candidatos que ficaram para o segundo turno começam a se enfrentar para uma nova eleição, é importante lembrar que, no último final de semana completou mais um aniversário da dolorosa perda da fábrica da Ford no RS. Não fosse a estupidez e a irresponsabilidade do governo anterior, cuja administração foi regada a muito ódio e pautada pela expulsão de todo o tipo de investimento, que poderia escrever uma história fantástica de sucesso para o nosso Estado, poderíamos estar em melhor situação. Fica aí, pois, a lembrança fatídica do falecimento de um grande projeto, cujo efeito pode contribuir para abrir algumas cabeças antes da eleição final. Valeria uma missa bem rezada.

MORRENDO DE INVEJA

Se já é muito doloroso para os gaúchos relembrar tudo o que foi perdido com a expulsão da Ford do RS, pior fica quando são observados os números divulgados pela empresa. É de perder o sono, a paciência e o rumo. A importância que a fábrica instalada na Bahia apresenta no crescimento da organização mundial é notável. Os veículos produzidos em Camaçari já são um sucesso em vendas no Brasil, com melhora sensível na participação de mercado. E as exportações, idem, com um aumento de 50% sobre o ano de 2003. Choro todos os dias pela perda incrível.

TAM

Enquanto a crise das empresas aéreas se concentra naquelas que tem péssima administração, quem faz boa gestão não tem o que se queixar. É o caso da TAM, que além de resultados econômicos e financeiros importantes, segue como líder em participação de mercado, com 35,6%. Registre-se que o mercado doméstico cresceu 12,8% no mês de setembro, o que não é pouco.

ADVB/RS

O empresário ambientalista belga Gunter Pauli será o palestrante do próximo Happy Business da ADVB, marcado para a quinta-feira, dia 14 de outubro, às 19h, na sede da entidade. Pauli vai falar sobre Reciclagem total: integração de ciclos produtivos. O Happy Business da ADVB visa promover debates nos quais a comunidade empresarial e o público em geral possam discutir a respeito de temas relevantes para seus negócios, para o mercado e para a sociedade. A entrada é gratuita mediante inscrição na ADVB (Rua Celeste Gobatto, s/n°, bairro Praia de Belas), pelo fone 3211 0399 ou pelo e-mail happybusiness@advb.com.br .

BANRISUL

Durante o mês de outubro, o Banrisul estará promovendo a Campanha do Dia das Crianças em toda a rede de agências e nas salas de negócios dos shoppings de Porto Alegre. As crianças vão poder brincar, desenhar, assistir peças de teatro, entre outras atividades, em um ambiente exclusivamente preparado para elas, o Espaço da Galera. Também irão concorrer ao sorteio de duas poupanças no valor de R$ 150,00 cada. Para participar, é só preencher o canhoto da régua da Mesada Eletrônica ou da Conta Jovem, de acordo com a idade, e depositar na urna. Cada agência fará um sorteio preliminar, que apontará os representantes de cada conta para o sorteio final, que será realizado em novembro.

Leia mais

08 out 2004

AFINAL, O QUE É MESMO JUSTIÇA?


JUSTIÇA CONFUSA

Enquanto há uma preocupação fantástica com relação à violência no trânsito, com a mesma ou até maior intensidade há uma complacência com os criminosos que estão presos ou com mandato de prisão. Para os infratores do trânsito se exige todo o tipo de multa e repressão. Para os demais criminosos, incluídos aí aqueles que matam, roubam e sequestram, se fala em tolerância pela falta de cadeia. Como a Justiça está se pronunciando categoricamente, sem qualquer tipo de interpretação diferente e equivocada, conclui-se que além da falência do Judiciário não há forma de que possamos acreditar na instituição.

NOVOS MÉTODOS

Se há a constatação de que viramos o fio pela saturação dos meios de proteção, algo precisa ser feito. Os métodos até agora empregados mostram, por óbvio, serem absolutamente insuficientes e inadequados. Por não impedir o crescimento da violência, novos métodos precisam ser urgentemente testados. Quem sabe a pena de morte? Já seria uma boa forma de eliminação do veneno do sistema. Ou que tal uma mutilação definida e objetiva, para impedir a destreza de movimentos em crimes que pudessem se tornar repetitivos pelo criminoso? Enfim, muito antes de relaxar na prisão,ou colocar novamente nas ruas os bandidos, é bom que se atente para a uma questão importante: não penalizando os criminosos, já estamos penalizando a sociedade, que fica à mercê dos ataques ou da praticada pena de morte às vítimas, imposta pelos próprios bandidos. Afinal, quem deve ser protegido?

É PRECISO REAGIR

Penso, igualmente, que a imprensa precisa mudar de lado. Esta de fazer campanha contínua pedindo e informando que ao ser assaltada a vítima não deve reagir, é estupidez. Além de encorajar mais ainda a bandidagem, faz com que haja uma colaboração definitiva para o sucesso do crime. É preciso imediatamente promover cursos rápidos de defesa pessoal e formas de se proteger de assaltantes e sequestradores. É preciso estimular o uso de armas e o melhor uso delas para que todos se tornem agentes preparados para reagir. Uma cidade americana, onde o índice de crimes se tornou alto, fez isto. Houve permissão para que todos andassem armados, desde que soubessem usar corretamente suas armas. Foi o suficiente para tornar o condado em uma dos mais seguros dos EUA. Criminoso de rua passa longe de lugar assim. Até porque são muito bem informados.

UM VITORIOSO - 1

O fato de um vereador não se eleger não significa que não tenha saído vitorioso. E pode até ser considerado, pelo tipo e forma de campanha escolhida, um fenômeno eleitoral. É o caso do médico muito dedicado, e do cidadão bastante preocupado com questões de saúde pública e de ordem ambiental, Dr. João Paulo Fagundes. Entendendo que deveria representar a sua vontade e de pessoas também preocupadas com os mesmos temas, resolveu se candidatar, pela primeira vez, a Câmara Municipal de Porto Alegre. Não conseguiu votos suficientes, mas obteve mais de 2.400 votos, provando que muita gente gostaria de tê-lo como representante.

UM VITORIOSO - 2

Se a eleição fosse distrital, por bairro, certamente João Paulo estaria no Legislativo Municipal. Atuou desta forma e promoveu a sua campanha, comprovando que foi mesmo um vitorioso. Eis o que informa o próprio JP: ?Os que começam a conhecer a história, calculam que o desempenho, POR VOTO, deve estar entre os melhores. Para tal usam a seguinte equação - custo da campanha/tempo de militância/benefício/voto -, ou seja: com R$ 2.000,00/06 meses de militância/02 meses de campanha efetiva. Pronto, fizemos muito mais do que muitos "macacos velhos e tubarões" da política.

UM VITORIOSO - 3

A estratégia da "equipe de campo" era feita ao sabor das disponibilidades do dia. Éramos 7 pessoas. Entre elas, minha mãe, eu, minha esposa, meu filho e minha secretária. Segredo (segundo eles)? Propostas e transpiração! Reflexão: A persistir a situação crítica do HPS, e a ameaça que paira sobre a cidade pelo Plano Diretor, teremos 4 anos para nos organizarmos. Eu já comecei o cadastramento! Motivo: Nossa tribuna cibernética vai permanecer ativa, com o mesmo ímpeto, e revigorada por assuntos médicos didaticamente veiculados. Um abraço do João Paulo?. Belo exemplo!

DIA DA CRIANÇA

O Hospital Moinhos de Vento e a Cia. Zaffari promovem um Dia da Criança especial no Parcão. As atividades gratuitas vão acontecer neste sábado, dia 9, das 10h30 às 16h30, junto à área de recreação. Aulas e apresentações com malabaristas e acrobatas, cama elástica, tobogã e bichinhos de balão estão entre as atrações do evento. Além das brincadeiras, as crianças poderão participar de uma oficina de saúde bucal, na qual profissionais da odontologia estarão dando orientações sobre a escovação e a higiene da boca. A garotada também será presenteada com um vasinho de argila com uma muda de flores, que elas mesmas poderão preparar no local e levar para suas casas. Em caso de chuva no sábado, o evento será transferido para o dia 12, terça-feira.

Leia mais

07 out 2004

ESTOU QUASE DENTRO DA LEI


SAINDO DA CLANDESTINIDADE

Estou quase fora da clandestinidade. Falta ainda a Câmara dos Deputados me transformar definitivamente num ser dentro da lei. Ou uma medida provisória que me dê o devido amparo legal. Explico: como fã ardoroso dos pratos feitos com produtos exclusivamente transgênicos, não vou precisar mais comê-los às escondidas. Adoro feijão com arroz, mas que tenham sido geneticamente e corretamente modificados. O sabor, gente, é outro. E agora, com certeza, as minhas saladas poderão ser, finalmente, regadas com o melhor óleo, desde que também seja uma obra prima da mais digna transgenia. Falta, ainda, o vinho, que espero não demore a chegar à minha adega. Viva a liberdade de consumo. Saúde!

E A VASP?

Depois de tanto sentimentalismo irresponsável em defesa da Varig, onde estão aqueles que deveriam, da mesma maneira defender a Vasp? Se existem gaúchos bobos, poderiam existir paulistas idiotas, não? Pois é, mas em São Paulo, pelo visto, não é bem assim. Se uma empresa insiste em não ter uma boa gestão, não há porque haver defensores. O mercado, através dos consumidores, produz empresas saudáveis pelo bom serviço oferecido. Ou as fecha quando não vê atendidos seus anseios. Isto só não acontece com empresas estatais, pois aí quem paga pelos prejuízos são os contribuintes, nunca os consumidores. Quando uma empresa de aviação tem aeronaves que estão fora do seu tempo útil de vida, você está disposto a viajar nelas? Pronto. É só isso. Não precisa mais nada para que os passageiros condenem a VASP ao fechamento de suas portas. Sem aqueles chiliques que os gaúchos tem quando o assunto é Varig.

ISTO É A SKY?

A partir de outubro, a SKY - operadora de TV por assinatura - está cheia de vantagens para novos assinantes. Entretanto, para os assinantes antigos, não são oferecidas as mesmas vantagens. Ou seja, um desrespeito total aos desavisados e um atestado de burrice para quem continua pagando pelo plano anteriormente escolhido. Em contato com a SKY, os próprios atendentes até sugerem que, por terem os assinantes percebido a posição de idiotas, basta cancelar a assinatura existente e, imediatamente, fazer uma nova em nome da esposa ou filho para gozar das vantagens promocionais. A condição é que o assinante seja novo. Atitudes como essa não nos levam ao capitalismo, mas a mais canalhice empresarial. Gente, o negócio é deixar de ser bobo. Cancelem já suas assinaturas e façam novas. É o que eles querem, não é mesmo?

FALTA CONVICÇÃO - 1

Um partido político, bem conhecido por dizer e fazer muitas besteiras, resolveu utilizar como arma de argumentação para obter mais votos dos eleitores de Porto Alegre, o fato de que o candidato da oposição para o segundo turno teria sido a favor das privatizações no RS. Ora, declarações assim, depois que o povo gaúcho já saboreia com muito gosto os frutos e as vantagens de ter os serviços que antes não eram impossíveis, mostra o atraso e a opção triste que defende o tal partido dos dinossauros. O serviço de telefonia, por ter acabado o monopólio, e hoje sendo administrado por diversas concessionárias, todas da iniciativa privada, virou uma guerra saudável de ofertas que até deixam os consumidores tontos de tantas opções de tecnologia e preço.

FALTA CONVICÇÃO - 2

A distribuição de energia elétrica, além de oportunizar o serviço onde o Estado conseguiu disponibilizar, só deixa de cumprir o seu papel quando a geração e a transmissão impedem, coisas que ainda estão nas mãos do Estado, que é falho e incompetente. O mesmo raciocínio serve para as rodovias, cujos trechos concedidos nem se comparam com os demais que deveriam (mas não são), ter a manutenção feita pelas administrações públicas. A oposição, no entanto, me surpreende quando trata de desconversar. Deveria, com firmeza, mostrar que houve grandes acertos, hoje já constatados, coisa que na época ainda não eram devidamente conhecidos. Mas, ao que parece, estão muito constrangidos.

A PUBLICIDADE OFICIAL

O que vocês estão achando da espetacular despesa com publicidade do governo federal nos últimos três meses? Bonito, não? Melhor, fantástico, não é mesmo? Se nos primeiros oito meses foram gastos R$ 30 milhões em publicidade oficial, só no último trimestre, exata e coincidentemente quando começou a campanha eleitoral, o governo petista gastou R$ 50 milhões para vender o seu peixe e influenciar eleitores. Além de ter engordado o cofre das empresas de comunicação que estavam precisando muito deste dinheiro, garantiu que tais empresas se transformassem em aliados importantes na hora do voto. Esta é a honestidade e a ética sempre defendida? Ou, quem sabe, mudou alguma coisa?

REGULARIDADE EXCESSIVA

As equipes de futebol do Grêmio e do Internacional, de Porto Alegre, estão fazendo uma rara campanha de grande regularidade. Ora perdem, ora perdem novamente. Ambos têm sido fantásticos na obtenção de resultados negativos. Aí está, portanto, uma mostra de que azar é algo que só pode estar perto dos bons, nunca dos ruins. Equipes acostumadas a vencer, quando derrotadas sempre podem debitar o resultado a uma parcela de azar. Já as equipes perdedoras só podem ter direito a alguma sorte, que é explicada por alguma vitória, coisa eventual. Mas aí a sorte só satisfaz caso houver alegria. Como isto estaria atrapalhando a regularidade do derrotado, não será festejada a vitória acidental, pois não gosta de surpresas.

REFERÊNCIA SUICIDA

Dentro do mais puro espírito gaúcho, que detesta que o seu concorrente tenha sucesso e até torce para que nunca chegue lá, o mesmo acontece no meio futebolístico. A referência do Inter é o Grêmio e vice-versa. Como o Grêmio está muito mal, a satisfação dos torcedores do Inter não é ser bom, mas ficar à frente de seu adversário. O inverso, por óbvio, também seria verdadeiro. Ao final do Campeonato Brasileiro, o mais lógico é que ambas as equipes sejam rebaixadas, coisa absolutamente provável, não impossível. E, mesmo assim, os torcedores e as direções dos clubes vão usar o expediente da pontuação. Vão achar que melhor será aquele rebaixado que tiver maior número de pontos. Deu para entender? Aqui no RS é assim.

Leia mais

06 out 2004

OS DEBATES NOS EUA E NO BRASIL


PRECISAMOS APRENDER

Tanto aqui no Brasil, quanto nos EUA, as eleições dominam os noticiários. E quando há debates políticos entre candidatos, a diferença entre o que é feito aqui e o que é feito lá é fantástico. Aliás, as nossas rádios e televisões não sabem fazer debates. A figura ridícula do ?mediador?, o transforma exclusivamente num marcador de tempo para que cada candidato fale. O que nem sempre consegue pelo desrespeito que alguns debatedores têm ao ocupar seu espaço. Mas, quando entregam a cada candidato o comando das perguntas aos demais é coisa de outro mundo. Do mundo da pedra lascada. Coisa mais do que ridícula. Dizem até que isto é aprovado conjuntamente entre os partidos e a emissora, o que mostra a pobreza de idéias.

O ENTREVISTADOR

Ao assistir aos debates entre Bush e Kerry na semana passada, e ontem, de Cheney e Edwards, observei que o papel do entrevistador é fundamental e deve ser reservado para alguém bem preparado para fazer perguntas inteligentes aos candidatos. Se o tema é o Iraque, por exemplo, as perguntas são feitas com objetividade. E as respostas dadas pelos candidatos já devem mostrar a boa noção de administração do tempo disponível para cada um. Este é um pré-requisito que o candidato-administrador deve ter. Para o eleitor, falar demais nunca é bem-vindo para quem quer ser o administrador de um país, estado ou município. Seria bom se copiássemos a forma de debates que são feitos lá, apesar de que são poucos aqueles que teriam chance de ocupar o posto de entrevistador. Com os que temos seria muito ruim.

LULA x POWELL

A forma gentil e objetiva com que Colin Powell tratou, ontem, das questões que envolvem o Brasil e os EUA, na sua primeira visita ao nosso país é digna de registro. Respondeu todas as perguntas com muita transparência, inclusive quando perguntado sobre a taxação, proposta por Lula, às transações financeiras internacionais para diminuir a fome do mundo. Bem diferente do que a nossa imprensa que destila ódio aos americanos, Powell respondeu que os EUA concordam com a ação, mas não com a forma. Entre tantas coisas que poderiam ser ditas e escritas, sobre a visita de Powell, uma coisa ficou evidente: Lula não ficou nem um pouco a vontade quando tirou fotos com o secretário de Estado americano. Bem diferente das fotos tiradas com os ditadores, do Gabão, da Venezuela e de Cuba, onde ele é só sorrisos.

CARGA TRIBUTÁRIA - CORREÇÃO

Um erro grosseiro foi cometido quando foi informado ontem que a carga tributária já alcançou a marca de 38,11%. Este percentual representa aquilo que foi ingressado nos cofres públicos. A parte da informalidade, que já é enorme, não foi computada por estimativa, como deveria ter sido feito. E junto com esta, a parcela sonegada que também é estimada por vários estudos. Assim, a sociedade não tem idéia do que representa a carga efetiva, que já ultrapassa 53% de tudo o que é produzido neste país.

PREÇO DO PETRÓLEO

Só para deixar bem informados os mais resistentes de que é necessário o acompanhamento dos preços dos combustíveis, pelo contínuo aumento do preço do petróleo: o barril já está acima de U$ 51. E a Petrobrás continua esperando para tomar uma decisão. E usa como justificativa que há muita especulação. Até pode ser, mas lá fora quem especula faz com o seu próprio dinheiro. Aqui não é assim. É com o dinheiro dos outros. O nosso governo faz com o dinheiro do povo. Lamentável. E a imprensa endossa.

CDA E WA

Por Medida Provisória foi, finalmente, criado o Certificado de Depósito Agropecuário - CDA e Warrant Agropecuário ? WA, conforme publicação feita no DOU de 04.10.2004. O CDA é título de crédito representativo de promessa de entrega de produto agropecuário depositado. O WA é título de crédito que confere direito de penhor sobre o produto descrito no CDA correspondente. Ambos são títulos unidos, emitidos simultaneamente pelo depositário, a pedido do depositante, podendo ser transmitidos unidos ou separadamente, mediante endosso. E os endossantes não respondem pela entrega do produto, mas, tão-somente, pela existência da obrigação. É considerado depositário: pessoa jurídica apta a exercer as atividades de guarda e conservação de produtos agropecuários de terceiros; e depositante: pessoa física ou jurídica responsável legal pelos produtos agropecuários entregues a um depositário para guarda e conservação.

FESTIVAL DE TURISMO

O 16º Festival do Turismo de Gramado definiu a programação oficial do evento. Entre os temas do Congresso, assuntos abrangentes, atuais e polêmicos. Um deles está ligado a Turismo e Cidadania. No debate, a função dos agentes ativos contra a prostituição infantil. Outro tema em discussão será o desenvolvimento tecnológico em turismo. Também será aberto espaço para debate do turismo como agente na defesa do meio ambiente. O Festival também abrirá espaço para temas como segurança na Internet, tendências e movimento do fluxo turístico, entre outros.Além disso, o evento contará com a apresentação de destinos turísticos. Entre eles, estão a Rota do Outro (MG), a Região de Visegrad (Polônia, República Checa, Hungria e Eslováquia), Norte da Índia, Hong Kong e Tailândia. O evento acontece de 18 a 21 de novembro, no Sierra Park, das 14 às 20 horas. A programação está na página do Festival de Gramado: www.festivalturismogramado.com.br .

ON DEMAND

A Processor e a Citrix com o apoio da Officer promovem, no dia 7 de outubro, a partir das 9h, o evento "Vantagens de ser uma empresa On Demand" no Hotel Deville Aeroporto (Av. dos Estados, 1909). Na oportunidade, haverá a apresentação da ferramenta Citrix MetaFrame Access Suite. Inscrições gratuitas pelo telefone (51) 3346-7300 ou pelo e-mail eventos@processor.com.br.

Leia mais