Artigos

24 nov 2004

VENDEDORES DE ESPERTEZA


OS DEPENDENTES

Diversas empresas de auditoria se intitulam como independente e assim vendem uma imagem de seriedade e confiabilidade. Porém, na realidade, muitas só se estabelecem para avalizar e ajudar seus contratantes a mentir. Creio que o preço é até bem mais alto para manter o sigilo das negociatas. São, enfim, auditores dependentes da vontade de quem os contrata, omitindo nos seus pareceres, informações ou falcatruas que podem prejudicar os acionistas minoritários.

OS RESPONSÁVEIS PELO MEDO

Como se não bastasse a existência destes maus profissionais, hoje responsáveis pelo grande medo de muitos investidores de entrarem no mercado de ações, temos agora o mesmo procedimento criminoso promovido por várias agências de risco que dizem avaliar empresas e bancos. Tudo parecia que era algo sério até que o Banco Santos sofreu intervenção pelo BC. A partir daí o cheiro de safadeza nas avaliações de risco dos bancos se espalhou. Uma delas chegou ao cúmulo de mudar a sua nota depois de intervenção. Pode? Pois pode.

DESAMPARADOS

Afinal, o investidor deve contar com a ajuda de quem? Gente, o custo para estarem mais protegidos está sendo pago por todos os acionistas, que infelizmente não estão sendo atendidos. Resta, como sempre, o caminho da Justiça que poderá dizer quem é o culpado pelos prejuízos atuais. E futuros, caso outras instituições financeiras bem avaliadas também quebrem.

NOVAS CLASSIFICAÇÕES

Preocupada com a situação e com os rumores e turbulências no mercado, depois da intervenção do Banco Santos, a agência Fitch Atlantic Rating já revela as suas novas classificações de risco para os seguintes bancos, separando em prazo Longo e Curto:

BANCOS AVALIADOS

Bradesco AA (bra) e F1+ (bra) Itaú AA (bra) e F1+ (bra) Santander AA (bra) e F1+ (bra) Votorantim AA (bra) e F1+ (bra) Safra AA- (bra) e F1+ (bra) Unibanco AA- (bra) e F1+ bra) Banco Alfa A+ (bra) e F1 (bra) Nossa Caixa A+ (bra) e F1 (bra) Pactual A+ (bra) e F1 (bra) BMG BBB+ (bra) e F2 (bra) Panamericano BBB+ (bra) e F2 (bra) Bicbanco BBB (bra) e F3 (bra) Merc.Brasil BBB (bra) e F3 (bra) Rural BBB (bra) e F3 (bra) BMC BBB- (bra) e F3 (bra)

CÂMBIO LIVRE

A velha mania de entender que o governo deve fixar preços e fazer intervenções está muito enraizada na cultura dos brasileiros. Isto mostra a razão da enorme falta de liberdade e do entendimento do que é o livre mercado. Todos se acostumaram, desde o periodo do Império, a ir para o ferrolho, como se lá estivessem a salvo das intempéries. Quanta ignorância, meu Deus do Céu. Com o câmbio está sendo assim e, pasmem, o governo petista está dando o melhor exemplo daquilo que o mercado vem propondo. Aliás, quando a nossa moeda é depreciada não se vê empresario entendendo que está ganhando demais. Mas, basta a apreciação do cambio e a casa cai.

PROMOÇÃO

Em comemoração ao aniversário de 10 anos do Cartão de Crédito Banrisul Visa, o Banrisul está lançando, em parceria com a Visa/Visanet, uma promoção exclusiva com sorteio de dez prêmios aos portadores do cartão. Chamada de - 10 Anos Banrisul Visa -, ela sorteará pela Loteria Federal três automóveis VW Gol City 1.0, 8v, 02 portas, gasolina; duas motos Honda CG150 Titan ESD, com partida elétrica, e cinco televisores 29 polegadas Sony.Todos os portadores do Cartão Banrisul Visa que fizerem compras no território nacional, em moeda corrente à vista ou a prazo, no valor a partir de R$ 70,00, no período de 20 de novembro a 28 de dezembro, estarão concorrendo automaticamente aos prêmios, pelo número do código de autorização impresso no comprovante da transação. Atenção: não farão parte desta promoção transações realizadas manualmente, pela Internet, por telefone, por mala-direta ou por correio. O regulamento completo da promoção pode ser encontrado no site www.banrisul.com.br e no verso dos encartes das faturas.

LIVROS

O ranking de vendas da Livraria Virtual do Instituto Liberdade IL/RS está sendo liderado pelos gaúchos. Em relação às vendas em todo o Brasil, o RS tem participação de 34%. Em segundo, com 20%, vêm cariocas e paulistas. Na Livraria Virtual, entre os livros mais vendidos estão ?Quem é John Galt?? e ?A Nascente?, de Ayn Rand, e ?O Caminho da Servidão? de F. A. Hayek. Estas obras lideram o ranking de vendas pelo segundo ano consecutivo. Recomendo a leitura de todos eles. Os livros podem ser adquiridos no site www.institutoliberdade.org.br e o comprador os receberá em qualquer lugar do Brasil, sem sair de casa.

Leia mais

23 nov 2004

COMO ESCONDER A INCAPACIDADE


LENGA-LENGA CHATA

Os governos estaduais e municipais estão se mostrando muito chatos nas suas reclamações sobre a falta de recursos. E o interessante é que continuam usando o mesmo e surrado expediente para esconder as suas incapacidades administrativas. Por pura falta de decisão de enfrentar os problemas preferem sempre pôr a culpa na União pelo não repasse de verbas. Ora, se já faz anos que é assim, o ideal seria encontrar alternativa melhor do que ficar chorando e se esquivando. Aí entra um bom corte de despesas, como fez o governador Aécio Neves, e uma exposição definitiva desta deficiência de recursos no orçamento anual. Seria, com certeza, um gol de placa.

COMPENSAÇÕES

Por outro lado, observem que tudo aquilo que os governadores e prefeitos reclamam e se enchem de razão, são os mesmos problemas que afligem as empresas e os contribuintes. Afinal, porque pagar impostos se os serviços não existem ou são negativos? Porque privilegiar sempre os funcionários públicos como se fossem os únicos que merecer respeito? As tais compensações reclamadas pela perda de receita com exportações, exigidas pelos governadores, são as mesmas compensações que precisamos exigir pelos serviços que deixam de ser prestados.

ALAVANCA

A palestra proferida pelo governador Germano Rigotto, na Ass. Comercial de São Paulo, ontem, foi provocativa e oportuna. Se não houver uma mobilização do empresariado, que ainda é uma voz mais rouca e forte nas reclamações sobre a carga tributária, nada vai ser feito. Os empresários, assim como os contribuintes em geral, por terem com o que se ocupar, só marcam uma data para reivindicar. Depois, tudo cessa. Já os sem-terra, por exemplo, não. Estes permanecem no local até uma decisão, onde a própria mídia não deixa de servir como alavanca para o atingimento dos propósitos. Quem sabe aprendemos com tais militantes?

AS PRIVILEGIADAS

Oservações do Prof.. Bergamini: Em setembro de 2004, segundo o IBGE, a População Economicamente Ativa (PEA) tinha a participação de 45,1% de mulheres e 54,9% dos homens. E a População em Idade Ativa (PIA) era representada por 53,2% de mulheres e 46,8% de homens.

DIA DA MULHER?

As mulheres (que se dizem prejudicadas e até tem Dia da Mulher) contribuem com cinco anos menos para a previdência (INSS ou Servidores Públicos) em relação aos homens, obtendo os mesmos benefícios dos homens, além de terem uma expectativa de vida de 7,8 anos maior do que os homens. Os militares possuem o direito de computarem nos cálculos de suas aposentadorias o período das escolas preparatórias e academias militares (5 anos). Com base na técnica atuarial existem 12,8 anos nas aposentadorias femininas civis, e 17,8 anos nas aposentadorias femininas militares, sem fontes de contribuições.

VAI EXPLODIR

Como as estatísticas demonstram, nos últimos trinta anos houve um crescimento exponencial da participação da mulher no mercado de trabalho. Esta é a grande bomba-relógio na previdência social, de proporções inimagináveis, que começará a ser sentida nos próximos anos, com o início dos pagamentos dos benefícios sem fontes de contribuição. Com base nas premissas acima colocadas, a falência total do sistema será inevitável. Como há uma batalha traavada para que haja uma igualdade entre os homens e mulheres, penso que os homens precisam ter alguns privilégios para explodir tudo de vez.

NOVO MERCADO

No dia 30 de novembro, em São Paulo, no hotel Blue Tree Towers Morumbi, quatro empresas brasileiras inovadoras estarão se reunindo com investidores para iniciar negociações com vistas à abertura de capital no Novo Mercado ou captação de investimentos de private equity. O encontro acontece durante a décima-primeira edição do Fórum Brasil Capital de Risco (Fase 2) e é fruto de um trabalho de prospecção e preparação realizado pela Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP), do Ministério da Ciência e Tecnologia, em parceria com a Bovespa. As quatro empresas que estarão se preparando para abrir o capital são as seguintes: CSU (SP) - Serviços; NUTRELLA (RS) - Alimentos; RM SISTEMAS (MG) - Software; e WAYTEC (SP/BA) - Eletroeletrônica.

HOMEM DO AÇO

A fabricante de máquinas agrícolas John Deere, de Horizontina,RS, recebe hoje, 23, o troféu "Homem do Aço 2004" conferido pela Associação do Aço do Rio Grande do Sul ? AARS, durante solenidade às 20h30min, na sede da Fiergs, em Porto Alegre. O troféu "Homem do Aço" vem sendo conferido há 27 anos a personalidades que tenham contribuído decisivamente para o desenvolvimento do setor sídero-metalúrgico do RS. Desde o ano de 2001, também pode ser atribuído a empresas de destaque do setor. Parabéns.

Leia mais

22 nov 2004

FALTA UM COMUNICADO OFICIAL


O RETRATO DO DESESPERADO

Mais uma vez a decisão do Copom mostrou o quanto o governo precisa de recursos e o quanto representa o baixo nível de entendimento do povo. Para tentar corrigir esta ignorância popular, e partir para discussões e soluções inteligentes e efetivas, creio que está faltando um comunicado oficial por parte do governo, com explicação continuada por parte de professores e de comunicadores dotados de alguma capacidade intelectual, para explicar quem é o mais desesperado por tomar os recursos do público.

CAUSA INATACADA

A questão, ou causa, que mais uma vez exponho, é a seguinte: se os juros caem muito, quem deixa de captar é o governo. Por decisões orçamentárias e constitucionais o Estado é um grande viciado, um ser altamente dependente que precisa desesperadamente de dinheiro para fazer frente às suas despesas monumentais e cobertura de déficits monstruosos. A causa, portanto, está no tamanho da despesa, não do custo para enfrentá-la.

ATACAR AS CAUSAS

Juros baixos, por sua vez, estimulam o desenvolvimento, o que representa recursos alocados em empresas, infra-estrutura e serviços, concorrentes fortes do governo na disputa da pouca poupança disponível. Gente, é preciso parar de discutir a conseqüência e começar a atacar tão somente as causas. E mais uma vez o Orçamento Geral da União, que está para ser aprovado no Congresso, vai contemplar coisas absurdas que ninguém está atacando nessa hora.

FALTA BOM SENSO

Perturbados pela crescente necessidade de captar tudo que pode, o governo mostra que nunca não tem tempo para pensar. E os políticos, mostrando desde sempre que não são dotados de bom senso ou capacidade de administração, também nunca entenderam que alíquotas menores melhoram os níveis de arrecadação. Vesgos para esta necessidade de percepção, sufocam a economia e tiram a capacidade de discernimento dos empresários, que preferem lutar para diminuir o efeito e deixar as causas absolutamente intactas.

CONFUSÃO PERIGOSA

A má informação ou formação dos brasileiros já é suficiente para entender como as pessoas confundem mercantilismo com capitalismo. É aí, talvez, que reside esta enorme paixão do nosso povo pelo socialismo. A confusão e a ignorância admitem que a única via de correção das injustiças está no coletivo e não no indivíduo. Observando o comportamento da sociedade brasileira desde o Império, a única experiência que ainda não foi feita no Brasil foi o capitalismo, onde a concorrência e a liberdade de escolha está no indivíduo.

PALHAÇADA

Gente, o primeiro a se instalar aqui foi o governo. Depois é que veio o povo que não tinha o direito de escolha, mas só de aproximação para conseguir alguma vantagem. A escolha dos empresários foi, portanto, feita pelos governos com distribuição de concessões e favores aos mais chegados. Isto explica a contínua necessidade de muitos empresários ficarem paparicando governantes concedendo e distinções a cada final de ano. Uma palhaçada inominável. Como podem premiar governantes que só cuidam de folhas de pagamento dos servidores públicos e de contínuos aumento ou antecipação de impostos para satisfazer estes absurdos?

REVISTA FEDERASUL

Creio que de nada adianta ficar irritado com o conteúdo da revista da Federasul que acaba de ser distribuída aos seus associados. O que está nos textos é absolutamente incontestável. O que não entendo, no entanto, é o puxa-saquismo que muitos associados fazem com os seus alvos preferidos. Aí é duro de entender.

ANÁLISES ECONÔMICAS

O mercado ganha este mês uma nova empresa especializada em análises econômicas, a GRC Visão. A empresa é resultado da fusão entre a Global Invest Consultoria, de Fernando Pinto Ferreira, com a área de consultoria da RC Consultores, do economista Paulo Rabello de Castro. A GRC terá sede em Curitiba, mas com escritórios nas cidades de São Paulo, Rio, Porto Alegre e Belo Horizonte.

Leia mais

19 nov 2004

NOVA SAFRA DE BOATOS


SOMOS AGENTES

O mercado financeiro, desde a sua existência, vive constantemente ao sabor de boatos. Alguns colaboram para a alta, outros derrubam as cotações dos mais diversos ativos negociados. Fazendo um levantamento ao longo do tempo se observa que os estragos são sempre mais acentuados do que as benfeitorias. E, obviamente, os primeiros ativos a sofrer são sempre os financeiros por representar uma liquidez mais imediata. É assim e sempre será assim, quiram, gostem ou achem insuportável. Em última análise: somos, todos, agentes do processo e dos boatos.

PRATO CHEIO

Quando ocorre a intervenção do BC em alguma instituição financeira, aí o prato fica cheio para que boatos e comentários invadam o mercado com apostas sobre qual será a próxima vítima. O suficiente para que os depositantes mais atentos, ou preocupados, entrem em pânico e comecem a promover saques nas contas correntes dos bancos mais comentados. Como sempre, os bancos de menor porte são os alvos preferidos, que passam a ter menos chance de ficar à salvo dos ataques especulativos. Gente, é algo inevitável e que vira um verdadeiro inferno.

PRIVILÉGIO

Na questão que envolve o Banco Santos, pelo fato de o senador Sarney já ter confessado que sacou o dinheiro da sua conta horas antes da intervenção do BC, não representa mais um boato, mas de fato confirmado. E neste caso é preciso atentar para duas coisas: 1- O senador, sendo íntimo amigo do dono do Banco Santos, significa um melhor nível de informação e decisão. Até aí nada a contestar. 2- O problema, no entanto, está no fato de que o Banco Santos estava com a liquidez comprometida e sem recursos para honrar o saque do senador ou de qualquer outro que pretendesse fazer o mesmo.

O FINANCIADOR

Para conseguir o dinheiro necessário, alguém certamente foi contatado e convencido para que fizesse um depósito (à vista ou à prazo) no Banco Santos. Com este valor captado é que foi possível pagar o cheque de Sarney. Aí é que mora o perigo, a vantagem, o privilégio. E que foi conquistado às custas de algum ou mais bobos.

XERIFE ?

Embora ainda seja cedo para fazer afirmações sobre a forma de gestão dos recursos depositados no Banco Santos, os boatos que circulam no mercado já dão conta de que há coisas esquisitas e complicadas por lá. E caso se confirme o que andam dizendo à boca pequena, vai sobrar mesmo é para o Banco Central que não poderia permitir tais procedimentos. Afinal, o BC é ou não o xerife do mercado, junto com a CVM? A coisa como está sendo posta aos ouvidos do mercado não é para acalmar, infelizmente. Vamos aguardar. Ah, e rezar não têm cabimento, a não ser para atenuar o sofrimento, não o prejuízo.

FORA LESSA

Se existem razões para descontentamentos em várias questões, principalmente aquelas que deixam de acontecer no âmbito governamental, ao menos alguma coisa alegrou o mercado, ontem: A saída do presidente do BNDES, Carlos Lessa. Se já foi difícil imaginar uma razão só para ter sido convidado, mais difícil foi conviver com suas atitudes estúpidas. O que me preocupa é o estrago que o energúmeno já fez na cabeça dos acadêmicos da Universidade, acompanhado da bruxa Conceição Tavares.

FERRAMENTA DO ANO

Após ter sido reconhecida como a ferramenta do ano em marketing direto, pela ADVB/RS, a Agência Sebrae de Notícias no Rio Grande do Sul (ASN/RS) apresenta uma novidade importante. Trata-se do novo site que objetiva facilitar ainda mais o acesso às informações sobre as micro e pequenas empresas gaúchas. O endereço eletrônico continua o mesmo ? www.sebrae-rs.com.br/asn. O ganho importante para o usuário é a visualização regionalizada da ASN/RS. Com a novidade, os interessados passam a acessar as informações, a partir das oito regionais do Sebrae no Rio Grande do Sul.

MUITO COMPLICADO

Mais um leitor indignado com o serviço prestado pelo serviço de imigração nos aeroportos, informa: Nao adiantou a tua grita sobre a ineficiencia da PF na chegada de vôos intenacionais em Sao Paulo. Domingo vim de Santiago e meu vôo chegou junto com um da Coreia, um do Canada e outro sei lá de onde. A fila para revisar a bagagem parecia coisa da`Disney...Como Porto Alegre é o nosso chão, talvez seja mais perto para ouvir e fazer caso aos teus recados.

Leia mais

18 nov 2004

É PRECISO GRITAR SEM PARAR


O GRITO EMPRESARIAL

Finalmente as entidades privadas do país saíram do silêncio e resolveram falar grosso com o governo sobre a nossa burra estrutura tributária. A Ação Empresarial, coordenada por Jorge Gerdau Johannpeter, conseguiu botar os pingos nos iis, ontem, 17, ao promover o seminário nacional ?Regimes fiscal e tributário e a capacidade do país voltar a crescer?. É preciso, no entanto, que as declarações e pressões não se restrinjam ao seminário. Uma vigília diária se impõe para que a matéria venha a ser votada o quanto antes.

O ERRADO

Ao entrar no evento, ministros, governadores e representantes do Congresso Nacional se depararam com o Feirão do Imposto, onde puderam ver quanto se paga em tributos diretos e indiretos por cada produto: desde feijão, açúcar, etc., até veículos, entre outros. No preço do açúcar, por exemplo, 42% são impostos. Percebo que neste aspecto cometeram um erro básico: ao mostrar o percentual de impostos sobre cada produto fizeram o cálculo de cima para baixo, quando o correto seria mostrar o percentual de baixo para cima.

O CORRETO

Exemplo: um veículo que tem seu preço fixado em 25 mil reais, mas custa 10 mil reais para ser fabricado, não pode ser considerado como se tivesse uma carga de 60% de impostos. Errado. O correto é: sobre os 10 mil reais de custo incide 150% de impostos para o consumidor.

ANISTIA À VISTA?

Há informações de que o governo estuda a elaboração de uma lei que permita a anistia de ilícitos tributários e cambiais para incentivar a repatriação de capitais de brasileiros exportados irregularmente. Alguns jornais até comentaram o assunto e o cálculo hoje é que existe cerca de US$ 200 bilhões no exterior nessa situação. Com anistia e garantia do anonimato, poderia retornar (é óbvio que não tudo), mas uma boa parte dos recursos, acertando previamente, seus proprietários, contas com a Receita Federal, retificando a declaração de bens e efetuando o recolhimento do imposto devido.

VANTAGENS

Como alguns países já usaram deste expediente para que os capitais fossem repatriados, basta copiar os melhores e mais bem sucedidos sistemas. A Itália, por exemplo, usou a forma de títulos - ao portador ? para que não houvesse identificação das pessoas. E as taxas cobradas para a repatriação também não podem ser altas, caso contrário não vinga o sucesso do programa. Penso que a idéia, além de ótima e barata, pode promover um aumento significativo das reservas e incentivar bastante os investimentos.

PPP

A Câmara Britânica de Indústria e Comércio do Rio Grande do Sul - Britcham, estará promovendo, nos dias 23 e 24 de novembro, um seminário sobre PPP - Parcerias Público-Privado. O encontro, que será na Fiergs, conta com a presença, entre outros palestrantes, do líder britânico, Peter Cutler, sócio senior da Grand Thornton do Reino Unido. Vai falar sobre sua experiência britânica com PPP, além de lições de projetos do Reino Unido (1990-2004) e outras atividades internacionais sobre projetos de PPP na Europa e em países em desenvolvimento, assim como os mecanismos para a implementação.

INVASÓES

Depois que o governo entendeu que as invasões estão permitidas é natural que todos ajam da mesma maneira. Portanto, quando leio a correta denúncia feita pelo vereador Adeli Sell PT-PA, sobre a invasão da cidade de Porto Alegre por vendedores ambulantes nordestinos não consigo ficar surpreso. Segundo Adeli, os invasores estão espalhados por toda a Capital, comercializando redes, mantas e cintos provenientes da Paraíba. Adeli está solicitando à Smic rigorosa fiscalização para impedir a ação dos referidos vendedores. Ótimo. Mas não deveria valer para todos os tipos de invasões? Sugiro que denúnciiem diretamente ao Ministério das Invasões, antes chamado de Ministério da Reforma Agrária. Ah, e antes de estranhar a falta de fiscalização fazendária, permitindo a entrada dessas mercadorias no Estado sem o pagamento de ICMS., pergunto: quem é o secretário da SMIC? É o Sr Edson Silva? Ah, então está explicado...

GLOBALTECH

Desde a segunda metade do século XX, está em curso uma revolução radical, impulsionada por dois grandes avanços do conhecimento. O primeiro deles é a ampliação dos sistemas de comunicação e processamento da informação, seguido dos progressos da biologia molecular. É neste cenário que surge a Globaltech ? Feira de Ciência, Tecnologia e Inovação, que pretende ser a maior feira do gênero em toda América do Sul. Organizada por Zero Hora, SENAI e Secretaria de Ciências e Tecnologia do Estado do Rio Grande do Sul, a feira acontecerá de 17 a 22 de maio de 2005, no Centro de Exposições da Fiergs.

Leia mais

17 nov 2004

A MEIA SOLA E OS XINGAMENTOS


O GRANDE CAOS

Quando ainda estava sendo discutido o projeto e a necessidade urgente de se fazer uma verdadeira reforma na Previdência Social, participei ativamente dando opiniões e fazendo críticas à timidez do texto que estava proposto, desenhado e defendido pelo atual governo. Não adiantou. Ficamos, infelizmente, com uma meia sola que de reforma nada tem. Já os xingamentos que recebi foram os mais diversos e mal educados possíveis. Todos com críticas fortes pela minha falta de sensibilidade humana e por pregar a retirada de direitos adquiridos dos atuais aposentados ou pretendentes a vestir o pijama.

AS QUATRO OPERAÇÕES

O governo, por outro lado, muito embora tímido nas suas pretensões, nem assim conseguiu aprovar no Legislativo o que havia proposto. O próprio senador petista Paulo Paim, do PT, vive se recusando a fazer contas, o que enseja admitir que o mesmo nunca soube as quatro operações. Agora, um ano após as mudanças, aí está para que todos entendam, o que representou a tal reforma mal feita: a Previdência está mais do que falida. Está cheirando mal e até o sistema de informática anda enojado e sem vontade de trabalhar, mostrando mais desrespeito ainda para com os contribuintes. Gente, é déficit para mais de metro. É de arrepiar os cabelos, fazer as malas e sair correndo

DESAFORO

O caixa do Tesouro, que jamais deveria ser utilizado para cobrir as contas da Previdência continua fazendo o equivocado papel que deveria ficar reservado exclusivamente às contribuições do sistema. Mas nem isso foi entendido pelos deputados e senadores que ainda estão querendo piorar as coisas aprovando a tal de PEC paralela. Gente, creio que ainda há tempo. Não para corrigir o desaforo, mas para fugir daqui. Em 2030, ou daqui a 25 anos, o número de beneficiados chegará a 46 milhões de pessoas, e os gastos representarão 9,2% do PIB. Com estas informações já sei: vou receber mais insultos que das vezes anteriores.

REFINARIA IPIRANGA

Confirmando o que escrevi mo mês anterior, a Refinaria Ipiranga mostrou agora no seu balanço, ontem divulgado. Com capacidade para refinar 17 mil barris/dia, refinou somente 10,3 mil/dia. Tudo porque o dumping da Petrobrás impediu a produção, que se continuasse acontecendo seria altamente prejudicial à empresa por não ter como competir. Resultado: a viabilização da refinaria só é possível pela prestação de serviços à Petrobrás. Não se trata de parceria, mas de contratação da empresa que ficou incapaz de competir. É dose.

ESTAMOS QUASE FORA

O presidente da Câmara Americana de Comércio, Tom Donohue, deu uma declaração forte a respeito da formação da ALCA. Pra ele o governo Bush deveria retomar o empenho pela criação da Área de Livre Comércio das Américas com ou sem o Brasil e a Argentina. E até propôs que o Congresso dos EUA aprove um acordo, já negociado, com 05 países centro-americanos, no começo de 2005. Tom acredita que tanto Brasil como Argentina acabarão ficando em posição de dificuldade caso não venham a aderir. Concordo e assino em baixo. Os demais vão entrar, podem ter certeza.

OPERAÇÃO

A Sonae Distribuição Brasil S/A informou que no dia 16 denovembro, em operação fora de Bolsa, a Sonae SGPS SA (holding), através de sociedade indireta (SC-Sociedade de Consultadoria, SA), adquiriu do Grupo Carrefour a participação de 22,37% por esta detida no capital daModelo Continente SGPS, SA (Modelo Continente, sub-holding controladora das operações no Brasil). O preço total pago ao Grupo Carrefour, somou 345 milhões de euros, oque corresponde a um preço por ação de 1,40 de euros. Em execução do mesmo contrato, a Sonae adquiriu ao Grupo Carrefour a titularidade de diversas marcas, incluindo a marca \"CONTINENTE\" para uso no território português.

AS VANTAGENS DAS CONCESSÕES

Não houve mortes nos acidentes ocorridos nos 993 quilômetros sob a administração do Univias entre a ida e o retorno do feriado de 15 de novembro. Somando as ocorrências dos três pólos (de Caxias do Sul, deLajeado e Metropolitano), houve uma redução em 35% no número de feridos este ano - 17 contra 26 no ano anterior. O número de acidentes reduziu em 12,5%em relação ao mesmo período do ano passado. Aí está uma prova concreta de que rodovias concedidas e administradas corretamente aumentam a a segurança dos usuários. Portanto, é preciso aumentar o número de concessões.

FESTIVAL DE TURISMO

Mais de 10 mil profissionais estarão presentes, de amanhã, 18, até 21 de novembro, em Gramado, ao 16° Festival do Turismo de Gramado. Com o tema: Desenvolvimento Tecnológico e Econômico ? Turismo e Cidadania -, o evento promete repetir o sucesso da edição passada. Por se tratar de uma das maiores feiras do segmento na América Latina, deve gerar bons negócios. A Feira deste ano terá 18 mil metros quadrados de área, reunindo 1800 empresas. A participação internacional também será significativa, com 35 países presentes no evento.

Leia mais